ESCREVENDO UM POUCO SOBRE A SÃO PAULO DESCONHECIDA- 1


VOCÊ SABIA QUE:
A escultura O MENINO E O CATA-VENTO   de O. M. di Palma, com 1,63mx1,20mx0,60m é uma escultura em bronze e mostra um adolescente e seu cata-vento, corpo abaixado, rosto alegre. Estava sobre um pedestal tendo por isso um destaque no Vale do Anhangabaú. Durante a gestão do prefeito Prestes maia (1938-1945) foi retirado de sua “moradia” inicial esquecido nos porões da Prefeitura durante algum tempo até ser colocado no  Largo de São Francisco , sem pedestal e sem cata-vento. E ainda causou protesto por sua semi - nudez, embora fosse apenas um “menino”



VOCÊ SABIA QUE:

Existe uma bela obra de Ramos de Azevedo que nunca é citada na relação de suas obras?
ESCOLA ESTADUAL ROMÃO PUIGGARI fica localizada no bairro do Brás, zona leste da cidade de São Paulo, próxima à estação com o mesmo nome. E em frente à Igreja do Brás.
 Antes de ser conhecido pela nomenclatura que apresenta nos dias atuais, o local já possuiu dois nomes: inicialmente, foi chamado de PRIMEIRO GRUPO ESCOLAR DO BRÁS, passando depois a receber a alcunha de GRUPO ESCOLAR ROMÃO PUIGGARI, em homenagem a um dos diretores que comandou a instituição.
Pelo seu significado histórico e cultural, além da sua importância no âmbito educacional, a escola foi tombada em 2002, tornando-se um patrimônio da cidade de São Paulo.
O projeto arquitetônico foi desenvolvido por Ramos de Azevedo, e a construção dirigida pelo engenheiro Dr. Pedro de Mello e Souza Júnior, totalizando 4.725 metros quadrados.
O ano de inauguração foi o de 1898, sendo que no dia 2 de agosto já contando com 1031 alunos, que moravam, em grande parte, no próprio Brás.
Em 1926, ocorreu um incêndio na instituição que resultou em uma grande reforma em sua estrutura, porém, a arquitetura original de Ramos de Azevedo foi mantida.

Romão Puiggari
Romão Puiggari, que dá nome à escola, atuou como diretor da instituição durante dois anos. Nasceu na cidade de Vigo, na Espanha, no dia 8 de abril de 1865.
Além de professor, Romão Puiggari também foi prosador e poeta;[5] Em 8 de fevereiro de 1895 foi nomeado para ser professor da Escola Normal Modelo Caetano de Campos. Sucessivamente foi diretor do Grupo Escolar do Brás durante dois anos.
P      Puiggari morreu jovem, com apenas 39 anos de idade, no dia 5 de dezembro de1904.

                                  1898 – GrupoEscolar Romão Puiggari
Outra peculiaridade que fazia parte do dia-a-dia da escola era uma passagem subterrânea localizada na calçada da fachada da instituição. O intenso trânsito, ainda que na década de 1930, dificultava a vida dos pedestres que desejavam atravessar a Avenida Rangel Pestana, uma das vias mais movimentadas de São Paulo no início do século XX. Por isso, no dia 24 de setembro de 1938, foi inaugurada a passagem subterrânea ligando os dois lados da via.  Por insegurança, a prefeitura da cidade de São Paulo optou por fechar a passagem na década de 1960, cimentando as duas entradas.

nota – Eu, Neuza, morei no Brás e cursei o 1º e 2º anos do curso primário (1937 – 1938)   GRUPO ESCOLAR ROMÃO PUIGGARI e testemunhei a construção e o uso desse subterrâneo

A Escola Estadual Romão Puiggari tem base neoclássica, influenciada estilisticamente pelo ecletismo. Com dois andares e um porão, o local possui dois pilares na escadaria que dá acesso às portas principais do prédio. Além disso, as laterais da estrutura são localizadas mais à frente do que a parte central, compondo um conceito de fachada comum nas escolas da época. Apresenta um alto número de janelas, distribuídas pelos dois andares da construção, que conta com salas de aula bem distribuídas ao longo dos eixos, o que compõe o esquema de circulação. Portanto, a planta desenhada por Ramos de Azevedo apresenta característica simétrica









  




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUARESMEIRA OU MANACÁ DA SERRA?

PAINEIRAS E MARITACAS

A ARTE DE GIUSEPPE ARCIMBOLDO (Artista que poucos conhecem)