Postagens

VOLTANDO E EXPLICANDO

Minha última postagem neste Blog foi em 02 de janeiro.  De lá para cá, ocupei todo o tempo com a RETROSPECTIVA 2017 cujo resumo vai constituir a atualização de Eu sou Assim.
A Retrospectiva que faço anualmente é uma atividade trabalhosa, mas útil para dar uma visão do que se fez durante o ano em vários aspectos. Ao analisar com detalhes essa Retrospectiva há certamente um aumento da autoestima pelo registro do tanto que se fez e que ficou esquecido.
Há todo um roteiro para a “construção” dessa Retrospectiva:
Coleta de dados - lendo uma por uma as 365 folhas do diário e complementando com registros da Agenda de Trabalho, vou rascunhando em itens separados, palavras ou frases como lembretes. No meu caso a coleta de dados para a Retrospectiva 2016 custou 25 horas de trabalho em 5 dias de 6 horas de trabalho diário (é cansativo e só dá para trabalhar de duas em duas horas). Não deve ser interrompido.  Abordei os itens: Introdução – Auto Retrato  atual  - Saúde Física e Mental – Cuidados Pess…

"TESTAMENTO VITAL - DIRETIVAS ANTECIPADAS DE VONTADE"

Novamente volta ao noticiário o assunto  "TESTAMENTO VITAL - DIRETIVAS ANTECIPADAS DE VONTADE"  e a mídia logo procurou pessoas que tinham feito essa opção. 

Fui procurada 3 vezes neste dezembro de 2017: dia 18 em reportagem do jornal impresso O Globo, dia 15 pela TV Câmara e dia 18 pelo Jornal da Cultura. E em todas as vezes eu justifiquei essa atitude que tomei em novembro de 2014 com tudo já assinado, firma reconhecida e cópia sempre junto comigo quando me desloco fora de casa.

Desta matéria da TV Câmara já tenho o link   https://youtu.be/gV51v_AaaCQ ;acessando, vc saberá com mais detalhes meus argumentos, já também levados ao ar no programa de Pedro Bial cujo link está na relação em "A MÍDIA E EU"

BLOG DE CARA NOVA

Não, você não entrou no blog errado! Este continua sendo o Blog da Vovó Neuza.
Depois de quase 10 anos com o mesmo aspecto, resolvi mudar e meu filho Flavio me ajudou nisso.
Agora está com uma cara mais moderna, mais organizado e fácil de ler.
Os posts recentes, que continuam na PÁGINA INICIAL, se forem muito grandes terão apenas seus inícios nessa página, mas o texto completo você poderá ler clicando em "LEIA MAIS".
A área em que eu conto quem eu sou, "EU SOU ASSIM" que é atualizada anualmente está separada e com os anos mais recentes em cima, como deve ser. A diagramação está mais aberta e fácil de ler. Agradeço a quem tentou ler a versão anterior até o fim, nem eu conseguia.
A página "INDICAÇÕES DA VOVÓ NEUZA" tem os locais e livros de minha preferência. Prometo atualizar e expandir essa área de indicações.

Uma página foi acrescentada recentemente, "O QUE TENHO LIDO"; é um levantamento do que tenho lido desde 2000.
"A MÍDIA E EU", …

DE VOLTA À HISTÓRIA DA FIGUEIRA DA GLETTE

Imagem
Sempre fazendo parte da minha História de Vida.
A última vez que escrevi sobre ela foi em 19 de novembro de 2016, portanto há mais de um ano. Estava então feliz de encontrá-la viva e produtiva como mostra a foto

                                                        Foto de 19/11/2016
Neste segundo semestre de 2017 passei semanalmente pela praça do Pôr do Sol da USP (aquela que tem uma belíssima vista da cidade e foi registrada há 10 anos, quando do plantio de um dos clones da Figueira).

Sempre dou um alô simbólico ao clone. Quando ainda era inverno, mas a primavera estava se aproximando, todas as outras Tipuanas vizinhas já enfolhavam apesar da falta de chuva, mas o clone continuava sem nenhuma folha. E foi continuando assim, me preocupando muito, tanto que em 6 de setembro acabei por regar simbolicamente a planta, no afã de esperar uma reação vital. Veja as outras parvores enfolhadas.


Seria o solo? Seria necessário cuidar melhor do seu entorno? E entrei em contato como botânico que sem…

REPUBLICANDO CRÔNICA DE LOURENÇO DIAFÉRIA EM 1996

Pode-se republicar uma crônica de 1996 quando ela é atualíssima? Acho que sim, desde que se dê o crédito a seu autor. Lourenço Diaféria -  (São Paulo28 de agosto de 1933 — São Paulo16 de setembro de 2008) foi um contistacronista e jornalistabrasileiro. Na Folha de são Paulo começou como cronista em 1964, quando escreveu seu primeiro texto assinado. Permaneceu no periódico paulista até 1977, quando foi preso pelo regime militar devido ao conteúdo da crônica Herói. Morto, Nós    considerado ofensivo pelas Forças Armadas.  Tem sua coluna censurada, e é processado. Três anos depois, é absolvido desse processo e volta a escrever. Suas crônicas são sempre de acontecimentos do momento, tem humor, “critica” sutil e uma maneira gostosa de ser lida.
E então,  estou republicando uma crônica de Lourenço Diaféria : ela  cabe certinho no nosso cotidiano. Boa lembrança a de Evangelina que quis compartilhar comigo essa bela crônica. Na sequência e eu compartilho com,“o mundo".
Aqui vai ela:
CLIM…

DE VOLTA À CASA DAS ROSA (AV. PAULISTA 37)

Imagem
Sempre volto aos lugares significativo de minha vida. A Casa das Rosas é um deles.  Já escrevi muito sobre ela, já trabalhei os meus Encontros nela, já servi de guia dentro dela, conhecendo cada pedacinho e seu significado. Em um tempo fiz da Casa das Rosas o meu espaço quase cotidiano nos muitos cursos que aconteciam por lá. Deve estar tudo isso em um dos textos do meu blog, mas não consigo achar, provavelmente perdido entre os mais de 500 textos que publiquei desde 2008. E nesse caso o jeito é republicar quando a Casa das rosas volta à minha rotina de procurar espaços significativos da minha São Paulo e principalmente quando ela me oferece momentos de música.
Nesta sexta feira 06 de outubro de 2017 voltei a caminhar pelos jardins da Casa das Rosas porque era nesse jardim que haveria em um intermezzo entre manhã e tarde com música oferecida pelo LAMUC – Laboratório de Música de Câmara do Departamento de Música da ECA-USP. Nota - Nos aproximadamente 100 concertos anuais organizados pelo…

UM DOMINGO NO MUSEU DA CASA BRASILEIRA

Não importa que tenha sido a semana difícil, se muitos compromissos não puderam ser honrados, muitos desejos não realizados, muitas ansiedades refreadas, muitos problemas desagradáveis empurrados para “debaixo do tapete”.
Um domingo musical por excelência compensa e faz esquecer tudo.
Esse domingo foi hoje, dia 27 de agosto. Último domingo do mês, escolhida foi a programação do Museu da Casa Brasileira.Por que? O nome JAFFÉ foi suficiente para saber que teria música de qualidade.
Acompanho o nome há muito tempo, e nem sei quantos anos os nomes de Alberto e Daisy Jaffé fazem parte da minha vida de ouvinte de música. Sei que a família toda é musical. Que eu saiba Marcelo toca viola, Claudio toca violoncelo, Leonardo toca violino e Renata está brilhando como maestrina. E parece que há uma além de violinista também cantora.
Claudio Jafffé só ouvi uma vez quando o Quarteto teve que se deslocar para os porões do Theatro Municipal porque o saguão onde eles tocavam ia ser usado por algum evento p…