DIÁRIO DO MEU ISOLAMENTO - PARTE 8


Continuando a parte 7 que foi até o final   de outubro                         

Começo falando das ROTINAS. Não se prestava muita atenção nelas em tempos normais, mas elas sempre estarão presentes nesta situação anômala. São as coisas sempre, sempre necessárias para a sobrevivência física e emocional.

Interessantes são as rotinas das rotinas, aquelas que se repetem ad infinitum, mas nem pensamos que são rotinas necessárias. Todos os dias antes de dormir repasso as portas fechadas, todas as torneiras conferidas (uma vez já inundei o ap. vizinho pela área de serviço porque a torneira da pia da cozinha ficou aberta e o ralinho abaixado); confiro no fogão os botões do gás, confiro tomadas, se o celular está carregando, janelas fechadas para evitar surpresas com chuvas inesperadas....E durante o dia também conferindo se as frutas que tenho  não estão passando do tempo de maturação, se  o que preciso na cozinha de ingredientes está com o suprimento certo, se não há coisas esquecidas no fundo da geladeira........

Em cada lugar que passo sempre há coisas fora do lugar que precisam ser acomodadas.

Rotina são os pagamentos mensais que faço todos de uma vez antes do dia 10 porque se ficarem no banco não me rendem nada. E reúno todos em uma manhã porque pago tudo pela Internet e não uso leitora ótica porque treino e testo minha memória ao visualizar, memorizar e digitar os grupos de números que constituem a identificação do pagamento. Mais fácil mandar tudo para débito automático, mas seria um compromisso a menos e são os compromissos que mantem nossa integridade mental e cognitiva. Quem tem alguém que faça tudo o que ainda podemos fazer tem um bom caminho para seu desligamento progressivo. 

Apesar de toda a atenção, continuo queimando panelas porque se não mandou um recado para o cérebro sob forma de atenção, sempre acontecem esquecimentos.

A rotina com os familiares mais diretos e os amigos quando digo o BOA NOITE e BOM DIA para assegurar que ainda estou viva. E para o porteiro da vez no prédio para assegurar que sobrevivi à noite.

A rotina da noite, quando depois de todos os procedimentos higiênicos normais, relaxo e vou escrever no meu diário, diário os acontecimentos do dia. Testo minha atividade motora quando escrevo em manuscrito; texto minha memória quando repasso tudo o que fiz durante o dia, e o meu método de distribuir ocupações; testo minha cognição não só em lembrar, mas no método de escrever e às vezes comentar. A própria letra cursiva mostra se eu estou mais tensa ou mais tranquila. Testo até como estou enxergando, agora necessitando mais de óculos para leitura.

E é esse diário mais a agenda de trabalho, a agenda de gastos e a pasta maior com documentos importantes que me possibilitam escrever a RETROSPECTIVA anual. Com detalhes tenho Retrospectivas anuais desde 2000 e anteriormente desde 1954 de 10 em 10 anos.

Ainda dentro das atividades domésticas tive um problema de vazamento no banheirinho da área de serviço do vizinho de baixo, e porque acessei o seguro que pago mensalmente (vem na fatura do condomínio) ainda não está resolvido. E já estamos no meio de dezembro. Quase fim de dezembro e nada resolvido. Gesseiro está afastado e o Zelador infartou dias atrás e parou de procurar encanador. Tudo parado.......

E Doralice continua vindo, mas eu estou preocupada porque ela dá sinais de problemas de saúde, fica muito quieta e faz  o serviço com dificuldade, mas insiste em vir. Ana Paula continua trazendo e ela sai em tempo de tomar um ônibus vazio.  Mas, no meio de dezembro se sentiu mal, mas insistiu em ir até o fim do que ela considera sua obrigação. Estou pensando em não permitir mais que ela venha É de um grupo de duplo risco porque além dos problemas de saúde também é obesa. Continuarei pagando seu salário porque é minha obrigação. Terei que entrar em contato com Ana Paula e explicar a minha intensão.

Continuo dando conta da cozinha e fazendo comidas que divido em potinhos diferentes. E monto o meu prato sempre com alimentos balanceados. Paula continua querendo fazer as minhas compras, mas EU acho que estou abusando. Neste mês de dezembro a compra maior fiz pela Internet   no Meu Mercado em Casa, um supermercado pequeno. Me servem bem, entregam logo e recebem por pagamento com cartão de débito. Deixei de comprar no Mambo porque só recebem por Cartão de Credito e eu não gosto de passar despesas de um mês para o mês seguinte.

 

MINHA SAÚDE FÍSICA  E MENTAL [NGdC1]  - Continua boa. Continuo sem o acompanhamento da Geriatria, mas fui à consulta marcada na Psiquiatria porque tem menos gente e é seguro em termos de protocolo de cuidados. Foi uma boa consulta, comum dos meus dois psiquiatras, Marcos Paes. Respondi a um questionário para a continuidade do projeto do Lítio e passando por toda a bateria de testes já conhecidos, para saber se continuo com boa cognição. E uma grande conversa paralela com o Dr. Marcos, vale tanto ou mais que uma consulta. Continuo com metade de um comprimido de Zolpiden para dormir sem que os neurônios sempre “acesos” me perturbem.

Continuo prestando atenção a todos os meus processos fisiológicos e não tenho notado nenhuma alteração. Faço as ginasticas específica pelo menos três vezes por semana, tomo sol em cápsulas de vitamina D e ando bastante nas idas e vindas pelo apartamento todo.

Tenho notado a minha tendencia de encurvamento, consequência da musculatura mais “cansada”. Isso causa problemas com ombros mais juntos e caixa torácica menor. Presto atenção sempre na postura correta, mas acabei comprando uma cinta que me ajuda a me manter mais ereta. Como toda compra pela Internet tive problemas de erros, mas acabei acertando tudo.

 

 

ATIVIDADES PROFISSIONAIS - Como já sou uma longeva (quando estou escrevendo isto tenho exatos 90 anos e oito meses), estou em atividade, tenho condições de saúde para fazer malabarismos com os compromissos, sou solicitada a grupos de  conversas sobre a tal Longevidade,  seminários, palestras, lives (melhor seria dizer “ao vivo”), se eu não tomar cuidado acabo falando sempre a mesma coisa. Então sempre procuro saber qual será o público-alvo para adequar ou dar ênfase maior ou menor a determinados temas.

No começo de novembro foram duas falas importantes:  em um seminário sobre Envelhecimento e Cultura e com Natália de Belo Horizonte falei sobre minha vida (??) e aproveitei falar sobre meu trabalho de Resgate de Memória Autobiográfica, onde foco sempre conhecimentos como forma de Cultura.  

E esse trabalho, fundamental e principal na minha atual vida agora está sendo adaptado para maior abrangência. Para isso tive que, de 16 temas passar a 8 distribuídos em dois módulos. E ele foi coordenado pela Casa Séfora de Natal (RN). E foi aí que senti e dei o maior valor à colaboração de Telma Mendes meu apoio logístico, pessoal, emocional, estético e muito mais. Trabalhamos juntas e juntas tivemos sucesso porque tivemos 3 turmas sempre virtuais de dois meses cada uma com participantes sempre envolvidos. Vivenciamos muitas histórias, e essa diversidade de pessoas geograficamente distribuídas nos acrescentou muitos conhecimentos. Demos muito e recebemos muito.

Entrevista com Mariza Tavares foi muito boa e a matéria que ela postou no jornal O Globo do Rio de Janeiro, foi bem fiel ao que conversamos. Sempre o assunto Longevidade. 

O comercial do IFOOD começa a ser veiculada em 11/09 no intervalo do Jornal Nacional. Sei que são três versões, mas não vi todas. Parece que foi bem aceito porque mais gente me reconhece do que pela atuação profissional.

Muita conversa com Sandra Gomes do Conselho do Idoso visando futuros trabalho principalmente sobre a HISTÓRIA DE SÃO PAULO EM IMAGENS que eu pretendo para janeiro. Já dividido em seis ou sete aulas.

Webnar da Fundação de Energia e Saneamento sobre problema atuais.

Em 21 de novembro um encontro com um grupo do Lions Clube do Rio Grande do Sul, região metropolitana de Porto Alegre. Um tempo de conversa sempre sobre o que se pode fazer nesse período da vida, mas principalmente motivar as pessoas a terem propósitos e projetos. Valeu a pena.

O mesmo tipo de encontro com a Casa Guilherme de Almeida, mas não atingiu seus objetivos de divulgar o trabalho de Resgate de memória.

Participação de eventos SOU SESSENTA MAIS -  folders  nas Estações do Metrô com muitos 60+.

Um trabalho interessante. Resgatei no meu drive externo um trabalho enorme com o título CAMINHANDO PELA CIDADE DE SÃO PAULO, feito em 2004.Trabalho enorme com muita pesquisa e vivência pessoal e muita imagem. Considerando que foi elaborado em 2004 quando eu não dominava muito a tecnologia, o material todo era ótimo. Achei que podia aproveitar, dei uma revisão boa, dividi em três partes e com a Telma resolvemos oferecer como um curso pago. Divulgação nossa e ajuda do Sergio Duque Estrada através do Ativen. Três sábados das 15:00 às 17:00h. Boa aceitação para ser a primeira vez e pelo Google Meet e nosso primeiro voo solo.  Primeiro sábado, um sucesso. Segundo sábado, Telma veio para cá   (tanto fazia ela ficar na casa dela)  para  trabalharmos mais juntas e......acabou a força e o passeio por São Paulo teve que ser cancelado. Telma explicou para todos. Coisas do sistema. Mas, no sábado seguinte repetimos o sucesso. 10 pessoas pagantes e vários como cortesia.  No terceiro e último sábado, 12 de dezembro, me empolguei muito, me emocionei ao falar no Anhangabaú, no Teatro Municipal, nos viadutos do Chá.

Quando cheguei à Av. São João, tive um problema de fala: toda a cognição perfeita, mas falha na articulação das palavras. Telma encerrou, mas foi perceptível o meu problema.

Eu continuei com o problema, sozinha aqui e meio assustada. Júlio, da portaria subiu por aviso da Telma (viu que eu estava viva) e ela estava aqui “voando” da sua casa na Aclimação. Comecei a melhorar e logo chegaram Flavio, Eliana e Bruno. Fui melhorando, melhorando e voltei ao normal.  A causa????? Depois, chegamos à conclusão de que tive uma hipoglicemia (detalhes) e à noite já em pleno domínio de minhas ações e cognição estávamos discutindo problemas familiares. 

Foi um susto meu, de todos os participantes da aula que perceberam algo anormal, mas foram depois contatados para detalhes, de Telma, e.........

Acho que ainda devo aos participantes pagantes falar sobre a Av. São João e vou pensar nisso.

 

LAZER    Em 260 dias dentro do mesmo espaço o lazer tem que fazer parte. Horas de relaxo (mas que estou sempre pensando e pensando em algo para fazer) vejo as notícias de passagem porque nada mais é confiável. Tudo muito confuso deixa claro o quanto a maioria das pessoas públicas é egoísta.

 Filmes, não tenho muita paciência, mas tive uma Netflix um mês para ver o que me interessava e depois cancelei. Por esse streaming assisti   Perfume de Mulher, Sociedade Literária da Torta de Casca de Batata....Dilema das Redes, um documentário bastante atual.

 

LEITURAS

Para mim leitura é dos momentos de lazer mais prazerosos. Além de uma releitura de 10% HUMANO do qual estou tentando ainda fazer uma indexação, li uma literatura completamente diferente por conta do Clube de Leitura da qual faço parte agora - PEDRO BANDEIRA- 6.0, coordenado por Telma Olivieri. Dois livros de uma mesma autora Marta Batalha - NUNCA HOUVE UM CASTELO   e A VIDA INVISIVEL DE EURÍDICE GUSMÃO. Como pano de fundo da cidade do Rio de Janeiro   do começo até o meio do século XX, me levou até a pesquisar sobre a cidade e participar das vidas das personagens em uma belíssima e diferente maneira de escrever. E o livro seguinte para ser lido e discutido foi de Gabriel Garcia Marques – O AMOR NOS TEMPOS DO CÓLERA. Livro forte, denso e foi dividido em três partes para três semanas de comentários e discussões. Valeu a pena e gostei muito da Coordenadora e do grupo. Pretendo continuar em 2021.

Terminando a leitura de PANDEMIAS, - A HUMANIDADE EM CRISE.

Live da Companhia das Letras para o lançamento do SAPIENS de Yuval Noah Harari em quadrinhos. Comprei logo, na pré-venda e demorou um pouco para chegar.  E é ainda o volume 1 dos quatro previstos.  Feliz quando chegou e leio aos pouquinhos para saborear bem.  E estou aguardando o lançamento do áudio livro do SAPIENS na voz conhecida de Antônio Fagundes.  O Sapiens em quadrinhos chegou e é fantástico. Leio aos pouquinhos para poder curtir mais e mais.

Mais um livro na fila para ser lido: de Jorge Caldeira e....BRASIL – PARAISO RESTAURÁVEL um sopro de esperança nestes tempos conturbados.

Já comprei os dois livros que tenho que ler para janeiro para os meus dois clubes de Leitura :  LUIZA de Maria Adelaide Amaral  e O RETRATO DE DORIAN GRAY  de Oscar Wilde.

Ler o jornal diariamente é um vício. A tinta sempre me provoca uma alergia leve, mas encaro e continuo lendo. E é assim que me mantenho atualizada. E Isso significa fazer parte do que acontece, não viver à margem.

Com essa leitura acompanho as brigas pelos 5G que muita gente nem sabe o que é (eu sei sim) ;  brigam pelas vacinas e os que discutem nem sabem a diferença entre uma vacina tradicional e as mais moderna  com base em RNA (eu acompanho e entendo - sou bióloga de formação, tenho obrigação de entender); tomo conhecimento de quantas besteiras um governante faz na semana; e sei também quanto a nossa Arte Moderna é valorizada  quando o quadro “Caipirinha” de Tarsila do Amaral é disputado em um leilão  na Bolsa de Arte e comprado por R$57,5 milhões .????????

 

ESTUDOS  

 - Curso na Pinacoteca sobre IDOSOS NO MUSEU   curso longo, mas muito produtivo sobretudo pelos contatos USP 60+ e Gabriela Aidar da Pinacoteca para uma possível parceria e Sandra Gomes e Gabriela Aidar para possível parceria com a Prefeitura. Conselho de Idosos.

- Dois cursos de Felipe Martinez pelo MAM onde sou bolsista – INTRODUÇÃO À HISTÓRIA DA ARTE e ARTE MODERNA. Todas as segunda e quintas feira das 18:00 às 20:00h uma imersão total na Arte que me acrescenta muitos conhecimentos que eu ainda não tinha.

O curso do prof. Terron na versão virtual não fez muito meu gênero. Os filmes escolhidos não foram do meu agrado e na vídeo conferência por Google Meet entrei, mas não participei dos comentários. Muita gente para falar. E por muitos problemas parece que não vai continuar. Sentirei muita falta porque são mais de 10 anos de convivência.

 

 

AMIGOS  E PARENTES PROXIMOS

Nos meus tempos de reflexão, de pensamentos e de conversa comigo mesma, me pergunto nesta pandemia e no meu isolamento de quase 300 dias, como são as AMIZADES? Mensagens e vozes não são suficientes. Vídeos ajudam um pouco mais, mas falta o contato pessoal. Tenho recebido sempre uma pessoa por vez com todo o protocolo de segurança. Paula traz as minhas compras e às vezes para um pouco para uma proza. Circe sai muito para suas consultas e fisioterapias e acaba sendo uma contaminante, Nos vemos pouco e de longe. Sergio veio duas vezes me trazer seus pedaços de bolo e engatamos conversa de horas. Bom conversar com gente inteligente e que tem muito para contar. Telma veio no dia em que faltou força e ficou aqui até 20h. No dia do meu piripaque.  Um técnico da Claro para assistência quando fiquei 3 dias sem Internet. E o Zé Zelador que o acompanhou.

E o Jarlei, o sempre querido Jarlei que veio me visitar um sábado, trouxe[NGdC2]  nosso almoço e ficamos de conversa até o meio da tarde. Ele me conhece bem e com seus argumentos lógicos e inteligentes consegue me trazer à realidade com meus projetos utópicos.

Amigos de contatos via Whats são muitos e às vezes passo batido por uns e outros.  Mirian e Arthur na berlinda por ora. Mas continuam muito queridos e volto logo.

E consultando a lista no meu celular anoto Ana Lucia, o grupo de leitura que é de pouco tempo, mas promete maior contato para o ano. Elides, Wanda, Graça, Maria Inês, Rosália, Lívia, Neuzetes (invenção da Telma), Jarlei, Jolanda, Marlene Bonaldi  Cecilinha, Regina (que continua na Casazul e se comunica mais por telefone) Oscar e Jurema para contatos rápidos e impessoais, e muitos  de contato profissionais como os da Casa Séfora de Natal (RN) .......... Às vezes tenho vontade de escrever mais coisas além dos Bom Dia e Boa Noite, mas não dou conta e acabo falhando nos contatos.  Jolanda vejo nos seus lives de domingo onde ela é toda poesia. Margarete não me esquece um dia sequer e sabe me agradar sempre (Anhangabaú atual e a estátua do Verdi encontrada); com Telma muito contato de trabalho. E respeito seus muitos problemas e dou uma folga como este final de semana de dezembro quando ela foi relaxar com o Cesar e eu não mandei nem uma mensagem. Folga total.

Recebo muitas e muitas mensagens todas criativas e visualmente lindas, mas não sou capaz de retribuir com o mesmo empenho e gosto. É fácil encaminhar, mas não faz meu gênero. Recebo, curto, quando gosto muito encaminho para um grupo pessoal meu para não perder.

Grupo participante do Resgate....do primeiro semestre deste 2020 quando chegamos a dois encontros presenciais e completaram os 16 temas em Encontros virtuais, tinha marcado um reencontro no dia 16/12/ Telma abriu o Google Meet na estrada e passou o host para o Jácomo, do grupo. E, eu não pude participar com grande tristeza porque esses dias 16, 17 e 18 estive sem Internet e completamente desconectada.

Flavio entra em contato todos os dias e por ele sei da vida dos dois e família da Eliana que agora é também família do Flavio. E procuro sempre não acrescentar mais atividades além das muitas que já tem. O que tenho capacidade de fazer ainda faço.

Com os quatro netos dou os clássicos Bom Dias e Boa Noites, agora geral e semanal.  Bruno conversa mais vezes. estamos planejando um Zoom ou Google Meet comigo e os quatro. Vamos ver se dá certo.

E a novidade também é que ganhei um bisneto por adoção. Mas isso já devo ter contado.

Nascimento previsto para começo de novembro, adiantou e nasceu com 35 semanas de gestação em 23 de outubro. Nasceu mal e ficou na UTI neo natal por bastante tempo. Foram dias de preocupações e nada fáceis. Mas, finalmente ele alcançou o ponto vital que podia viver sem ajuda e aos poucos foi entrando em normalidade.  Saiu para a vida normal e foi para casa.

E o meu bisneto por adoção (porque ele não tem bisavós naturais) acabou por fazer de mim uma BISAVÓ POR ADOÇÃO. Ainda pretendo escrever as História de Benício e isso está na fila dos meus compromissos futuros. Soube por Eduardo que a primeira viagem de Benício foi para Minas, para a cidade do pai, Cassia. Mas não me deu mais notícias. Tudo para nessa época do ano.

 

NOVO COMPROMISSO (quando sou sempre chamada de “cobaia”.

Desde a última semana de novembro envolvida em um novo compromisso: fui aceita como voluntária para teste da vacina Janssen já na fase 3.  Estou escrevendo um relatório completo em separado porque não sei o que posso tornar público.

O que posso dizer é que compareci duas manhãs 30/11 e 07/12 e durante 3 a 4 horas passei por todos os protocolos do estudo até a tomada da vacina (ou placebo) no dia 07/12. A partir daí todo um processo de dados vitais (temp. oximetria, pulsação) duas veze por semana e resposta a um questionário que é enviado para o grupo de estudos.

 

Até o meio de dezembro ainda os finalmentes dos trabalhos todos. Mas, vão acabando um por um e vão deixando tempos vazios. Já não tenho mais palestras programadas, grupos de leituras reunidos, aulas de Arte  já estão encerradas. E os dias ficam mais longos.

O que aumentam são as de BOA FESTAS.  E eu me pergunto? Que festas?  Com a pandemia em outra fase, mais agressiva, mais contagiante, mais preocupante, FESTAS são fantasias. Para mim, para meu estado de espírito. Vejo anúncios de muita festa, muito comercio usando a época, muita gente inconsciente se agrupando, e não consigo me envolver no espírito das FESTAS.  EU, meu estado de espírito.

E combinamos que no dia 23 – aniversário da Eliana – ela e Flavio me buscariam em casa e me levariam para sua casa para uns dias de mudança de cenário e de convivência. Meio longe daqui, em Santana.

No dia do aniversário, comemos uma pizza para comemorar e me instalaram para passar uns dias aqui. Quantos???????

Uso o computador para este diário, depois do Flavio ter dado uma geral no material todo.

Só saímos para uma volta pelo bairro que é gostoso, ruas largas e nesse período do ano mais do que tranquilo. E comemos pastéis de feira que eu andava com muita vontade.

Esta casa onde Flavio e Eliana moram o interessante e a decoração é um barato. Grande, muito grande, é um sobrado com três salas, cozinha, banheirinho em baixo, uma escada bastante íngreme e na parte de cima uma suíte, mais dois quartos e um banheiro. Agora cada um tem seu escritório muito bem montado e podem trabalhar com conforto.

Mas, o interessante é a decoração: Eliana tem muito bom gosto e de cada objeto diferente monta um ambiente. Tudo é diferente e significativo. E as plantas estão em toda parte decorando e enfeitando.

Então, estou em um ambiente diferente, especial e que me mostra outro mundo de pequenos objetos fazendo parte de uma família.

Comemos, cochilamos, conversamos, discutimos, vivemos a rotina doméstica de uma maneira diferente para mim e para eles.

NATAL foi um dia comum. Sem crianças.

Continuo fazendo minhas medidas de temperatura, oximetria, pulsação nas segundas e quintas 3 vezes

Passo bastante tempo na rede da garagem que recebe bastante sol e aproveitei ler bastante o livro LUIZA . Negociamos a minha volta para casa para quarta feira 30. Arrumei minhas coisas, Eliana foi fazer uma feira para mim porque é perto e  verduras e legumes aqui é mais difícil.

Me convenceram que são eles que tem que cuidar de mim., são responsáveis por lei porque tenho mais de 90 anos.  Me incomoda porque me sinto mais dependente, mas tenho que me acomodar e aceitar. Não é fácil

Na volta para casa, depois de sete dias fora, inda passamos na casa de um amigo de Flavio e Eliana, o Lian  e ela é muito atenciosa para saber dele e levar sempre um mimo.

Em casa descarregamos as coisas, Flavio remontou todo o computador, deu uma ajeitada no som da minha TV que ele percebe fácil e concerta.

Hoje é o último dia do ano. Todo mundo desejando Feliz Ano Novo e eu no meu baixo astral não me integro no espírito dessa passagem. Para mim é a continuidade de um ano ruim só muda  o último zero para Um. 2020 para 2021

Passei quase o dia todo limpando, processando e acomodando verduras e legumes e não  fiz metade do que tinha planejado.

A única coisa positiva é que paguei todas as contas, separei e arquivei todas as notas fiscais. Entro nesse “novo” ano sem dívidas e com planejamento para o mês de janeiro.

 

E em função do que leio, do que acompanho e do que penso já posso escrever um pouco sobre a atual Pandemia que já dura aqui para nós dez meses de isolamentos conscientes, máscaras e outros protocolos.

Mas o que me deixa muito assustada é esse comportamento absurdo de aglomerações e festinhas mil. Principalmente hoje. Vergonha é dizer que nem a policia consegue controlar essa insensatez.

 

MUDANÇAS QUE OCORRERAM NESSES MESES:

São mutas, quem lê jornal ou acompanha noticiário sabe, mas em síntese, mudaram

            -  As formas de trabalho

            - A Educação, que ficou marcada por uma geração

            -A Reinvenção de atitudes de profissionais de saúde para enfrentar o problema – uso da Telemedicina

             - Descoberta de novos caminhos profissionais para profissões inusitadas

             - Saída de famílias da cidade para zonas rurais[NGdC3] ,  deixando as cidades diferentes.

             - Jovens adultos ou casais voltando para a casa dos pais

             - Empreendedorismo em alta – busca pelos próprios negócios

 

NOSSAS CERTEZAS:

- O Coronavírus ainda é um “mistério” para a ciência e o que perigoso é a sua capacidade de mutação que neste quase final de dezembro já é uma realidade

 - Falta de solidariedade internacional, egoísmo de cada nação – Briga pela VACINA

 -  Não existem líderes para atitudes globais.

 - Necessidade de RESILIÊNCIA para sobreviver às mudanças do mundo

 

O QUE ESPERAR DO MUNDO FUTURO

 -    Os pilares que o sustentarão

                        - Engenharia Genética e a Biotecnologia

            -Tecnologia   da Informação na Comunicação

            - Utilização de novas formas de energia –

                        Drones – Carros Elétricos (Elon Musk)

                       

Até   2021

 

 

 

 

 

           

 

 

.

 

 


C

ntiD

 

 

.

 

 

 

 

 

 

     

 

 

.

 

 

Comentários

Minha cara Amiga Neuza, como me inspira o Diário do teu Isolamento! Ou melhor, como é bom saber que os teus 90 anos não te impendem de fazer praticamente tudo que te faz bem! Anima-me ver teu dinamismo, tua lucidez e o teu precioso testemunho de LongeViver! Parabéns!
Gostei muito de me ver ao lado da Mirian como teus AMIGOS na berlinda nesta parte 8! Muita gratidão pela tua consideração e afeto!
AbraLaços Fraternos e um 2021 menos difícil para todos Nós!

Postagens mais visitadas deste blog

QUARESMEIRA OU MANACÁ DA SERRA?

USP 1948 - VESTIBULAR???????

PAINEIRAS E MARITACAS