domingo, 20 de junho de 2010

JOSÉ SARAMAGO - escritor com E maiúsculo cumpriu seu ciclo vital

SARAMAGO é o nome mais falado nestes dias em todo o mundo literário. Cumpriu seu ciclo vital em 18 de junho de 2010 em Lanzarote (Espanha) mas voltou para Portugal para receber as honras como figura pública.

De há muito tempo leio seus livros polêmicos, com maneira especial de escrever e sempre com assuntos interessantes que carregam forte carga histórica.Achoque li todos e tenho quase todos. Nos dias mais dificeis li um deles em biblioteca mas ainda vou comprá-lo. É o “Ensaio sobre a Lucidez”.  Mas, o que me impressiona mesmo é  “Levantado do Chão” que eu comento em  outro texto.
Neste texto quero apenas deixar registrado  um contato mais direto com José Saramago que aconteceu em 2003 (nossa, já faz 7 anos!!!). Editei o que tinha escrito na época. Aqui vai

12 de maio de 2003 – Teatro do Colégio Santa Cruz
Programa – leitura  de trechos do livro “O Homem Duplicado” de José Saramago pelo próprio
No começo de maio chegou da Companhia das Letras um convite para a leitura de trechos do livro de José Saramago “O Homem Duplicado” que eu já havia lido em dezembro de 2002, logo que foi lançado aqui.  Nesse evento do convite, Saramago estaria presente e responderia à perguntas.

A confirmação para a presença no evento deveria ser feita nos dias 7,8 e 9, das 9horas às 15 horas.  No dia 7 mesmo, as 9 horas e dois minutos eu já estava telefonando e reservando para Flavio e para mim.  Fiz bem em telefonar logo porque em um dia e meio todos os lugares já estavam esgotados. E eram 600. Durante o resto da semana li de novo o livro  “O Homem Duplicado” para estar mais lembrada.

Na segunda feira, dia 12 (dia da palestra) atrevi-me logo cedo a telefonar de novo e perguntar (perguntar não dói) se eu como idosa e com certa deficiência auditiva poderia ter um tratamento mais personalizado, com lugar mais próximo à mesa.

Muito bem atendida, recebi como resposta que sem dúvida iam nos reservar lugares especiais. Tenho razão em me arriscar. Caso não tivesse perguntado, minhas chances de conseguir um bom lugar seria de 0%. Com a pergunta, pelo menos 50% de chance eu teria – sim ou não) e realmente valeu à pena.

Antes das 20 horas eu e meu filho Flavio estávamos no Teatro do Colégio Santa Cruz, um belíssimo espaço totalmente lotado na hora certa.

A apresentação de José Saramago foi feita por pessoa do colégio e por Luis Schwarcz, da Companhia das Letras e na verdade “o dono da festa” porque era quem patrocinava o evento. Saramago é seu editado de longa data.

Foi feita a leitura de um trecho do livro “O Homem Duplicado” pelo próprio Saramago, com comentários seus e entonações de voz próprias para a leitura. Para quem conhece seu estilo, isso é importante.  O trecho escolhido foi significativo , interessante, onde o personagem principal Tertuliano Máximo Afonso dialoga com a namorada Maria da Paz sobre uma colocação desta : “ O caos é uma ordem por decifrar”
Saramago tem um forte sotaque português de Portugal embora vire o mundo como Premio Nobel de Literatura de 1998 e more numa ilha espanhola, Lanzarote.

Depois da leitura, Saramago respondeu à perguntas previamente selecionadas por Luis Schwarcz e englobadas em uma só quando semelhantes.  Falou de seu estilo, de sua rotina de trabalho, do desenvolvimento do assunto nem sempre planejado previamente mas se desenvolvendo no decorrer do trabalho.  Falou de alguns de seus livros como “Ensaio sobre a Cegueira” e “A Caverna” que eu acompanhei bem porque li não só esses mas todos seus outros livros.  Falou também sobre sua última atitude de  reprovação a Fidel Castro, falou de Bush, dos Estados Unidos, da sociedade globalizada do achatamento da sociedade com crise de identidade, enfoque maior do livro “ O Homem Duplicado”.

Enfim, foi uma palestra ótima, de nível cultural excelente, daquelas coisas que acrescentam algo.
No final, havia umas 600 pessoas querendo seu autógrafo. Não sou muito ligada à isso, mas nesse caso foi diferente porque seria a materialização de um desejo maior de conhecer um escritor com E maiúsculo.

Estava pensando numa estratégia para conseguir chegar a ele mais depressa, quando  Flavio falou com Luis Schwarcz usando dos meus 73 anos como argumento.  Ele gentilmente me levou até Saramago, parou a fila e fez com que eu ganhasse o autógrafo e algumas palavras do autor.  Esse livro vai ser guardado como preciosidade.
A noite foi completa. A emoção correu solta.

Ainda hoje tenho o livro precioso com a assinatura de José Saramago, já então Premio Nobel, e o meu nome escrito certinho. Com Z.




3 comentários:

Conceição Gama disse...

Oi, Neuza, tudo bem? Eu sou repórter do site Cuide da Pele (www.cuidedapele.com.br) e estou fazendo uma matéria sobre a terceira idade na Internet e gostaria de entrevistá-la. Por gentileza, envie seus telefones pro meu e-nmail: conceicao@agenciacartaz.com.br Obrigada!

Anônimo disse...

Oi, Dona Neuza. Tudo bem? Bateu saudades... Lembra-se de mim? Sou Lilian, jornalista que fiz uma matéria sobre envelhecimento e fui sua "sombra" por um tempo, como a senhora mesma dizia... E o grupo lá do Pateo do Colégio, tem se reunido? Vamos tomar um café ou um chá, qualquer dia desses? Meu e-mail: lilianrochael@hotmail.com Bj

Leti Abreu disse...

que honra, hein? eu pude assistir a uma palestra dele no III FSM, grande momento.. mais uma estrela pra iluminar agora...