quarta-feira, 20 de outubro de 2010

SOBRE O NOVO NOBEL

Noticia amanhecida: todo mundo sabe que a América Latina tem um novo Nobel. O outro foi Gabriel Garcia Marquez.
O novo premio Nobel é Mário Vargas Llosa, que de há muito deveria estar incluido entre os  Nobeis. Não sei porque demorou tanto!!!!

Não gosto de  escrever  quando a noticia ainda é “noticia”. Todo mundo escreve, todo mundo comenta, e a vida do escritor é invadida por “xeretas” de intimidades. Comentam e falam de dois ou três de seus livros, em geral os primeiros e que muitas pessoas leram. Desta vez falaram muito de “Pantaleão e as Visitadoras”, “Tia julia e o Escrevinhador”  e “Conversa na Catedral,  eleitos pela midia como representantes do novo Nobel.

Eu li todos esses há muito tempo, preciso até ler de novo. Meus comentários são sempre opiniões pessoais. Pantaleão para mim inaugurou a maneira pessoal de Vargas Losa escrever. Assustei.. Nas primeira 10 ou 15 páginas tem-se a impressão que o editor misturou as folhas . Quando se “pega no breu”  é uma delicia de ler pelo assunto, tratado com humor e pela maneira diferente de escrever. Enfim Vargas llosa é Vargas Llosa e não é preciso falar muito.  “Tia Julia”  é o romance de capitulos intercalados. Vou ler de novo. “Conversa na  Catedral é umcalhamaço que reproduz a conversa de dois amigos. Não linear, a minha impressão é que o final é uma pedra de mozaico que fecha o conteudo. E então o cérebro rearranja  os detalhes e curiosamente se entende tudo.

Mas há muitos outros livros interessantes. Não dá para comentar tudo mas pelo menos dois ou três: “O Paraíso na Outra Esquina” onde Flora Tristán e Paul Gauguin, são os dois protagonistas. A feminista Flora Tristán e seu neto, o pintor Paul Gauguin, foram personagens históricos geridos, justamente, pelo desejo de mudança radical. “O Paraíso na Outra Esquina” retrata, justamente, a luta de Flora e de Gauguin para se livrarem  de suas vidas rotineiras e e de seu empenho em alcançar  algo como o paraíso.  Interessante é saber da vida de Gougin não só pelo  aspecto artistico. Li, preciso releer porque gosto sempre de fazer comentários á beira da página ou grifar parágrafos interessantes. Esse livro li de biblioteca e não pude fazer isso. Devo a mim mesma um exemplar.
A “Guerra do Fim do Mundo” é Os Sertões de Euclides da Cunha romanceado. Nunca  consegui ler Euclides talvez por imaturidade, mas li “A Guerra”  de ponta a ponta e então sim relacionando-o com Os Sertões.  Tenho também a edição   original que alguém me trouxe do Peru. Li mais de uma vez
“A Linguagem da Paixão”  é um conjunto de textos jornalisticos escritos entre  1992 e 2000. Assuntos dos mais variados, o interessante é que muitos são atuais. Um amigo também me trouxe do Peru uma edição original, em espanhol.  Assinalei com post-it os textos que achei mais interessantes:
 - Um paraiso burguês – onde ele fala do pintor holandez  Johannes Vermeer e de sua cidade Delft. Mostra uma face diversa de Veermeer além de pintor. Por exemplo como marido presentíssimo  pois teve 15 filhos com a mulher.
 - Epitafio para uma Biblioteca -  exalta a British Library e seu Reading Room,  e a importancia de uma biblioteca para um escritor.
 - Uma donzela – a história da múmia Juanita
 - A Ilha de Mandela – a rotina de uma ilha prisão “atual” - Inacreditável.
 - Resistir Pintando – comentários sobre Frida Kahlo – sua história de vida, sua relação com  Diego Rivera.
 - A cidade dos Ninhos –  Um texto sobre a apresentação da ópera escrita por Brecht e musicada por Kurt Weill : Ascenção e queda da cidade de Mahagonny. Comentários  sobre os vários aspectos.
E muito, muito outros textos. Vale à pena serem lidos.
Por hoje é só. Qualquer dia eu conto mais.





3 comentários:

Anônimo disse...

Dona Neuza, que saudade!!!! Fui sua aluna como normalista e adorava suas aulas, pois sempre me dei bem com sua matéria. Claro que não vai lembrar...mas meu nome é sonia regina theodoro e me formei em 1969, eu fui uma das alunas que foi para a feira de ciências no Rio de Janeiro. Beijos e saudades e graças a Deus que você está tão bem.

Carla disse...

Olá D. Neuza! Confesso que me emocionei com seu blog. Quanta vitalidade e amor pela vida !
Parabéns !

beijos

Ficarei lisonjeada com sua visita.

www.silenciandocompalavras.blogspot.com

tia sara disse...

Querida vovó Neuza, fiquei tão feliz ao entrar no seu blog e ver sua disposição de viver.Eu estou com 53 anos sou Pós Graduada em História e Graduada em Pedagogia, tenho dois filhos uma menina que já casou e um menino que mora comigo tenho um esposo que é o amor de minha vida, porém profissionalmente me sinto frustrada, não arrumei nada que me interessasse, o salário do professor é injusto moro em São José do Rio Preto interior de SP, e aqui não HÁ concurso faz anos, continuo estudando para fazer um concurso do estado ou da prefeitura e agora estou cuidando de dois blog um para professores infantis e outro com mensagem para o público jovem com os conselhos da tia sara entra la e da sua opinião. Amo o Senhor Jesus e a ele dediquei mais da metade de minha vida em serviço religioso o que foi muito bom,falar do amor de Deus é minha vocação, sinto muito prazer em ensinar as sagradas escrituras falar do amor de Deus pelas suas criaturas seu sacrifício morrendo na cruz em nosso lugar, seus ensinamentos que nos ajuda até hoje, quando começo a falar desse amor eu vou longe, mas preciso dizer-lhe algo amei o seu blog e te admirei por suas palavras.
Beijo da tia Sara
meu blog é:http://tiasarafala.blogsport.com