sexta-feira, 26 de outubro de 2012

VIAGEM - DÉCIMO SEXTO DIA – SÁBADO –14 DE ABRIL DE 2012



Acordo cedo. Como estou em um quarto sozinha (Maria Inês e Marlene estão em outro quarto) posso fazer o que quero bem cedo sem perturbar ninguém. Tento usar o laptop para Internet e só consigo depois de muito ‘brigar’. E aí me comunico bem.
Chove em Madrid
Maria Inês trabalhando no quarto. Ela tem compromisso de congresso em Firenze e o dia se aproxima. Não participei das conversas das duas, mas parece que desistiram de Toledo. Por causa da chuva ou........

9 horas Pedro apareceu para nos pegar. Só saímos com ele eu e Marlene.
De sua conversa ontem com a Maria Inês ele se lembrou de que há um tempo tinha assistido a um documentário sobre Ramon y Cajal, cientista importante nos primórdios da Biologia, como estudo da célula. Resolveu então procurar esse DVD para presentear Maria Inês.
E quando saímos para correr novamente por Madrid, ele pediu desculpas, nos deixou em um estacionamento esperando por ele e foi à livraria de um dos El Corte Ingles para procurar pelo DVD. Não o encontrou, mas a informação que lhe deram é que em outro El corte Ingles haveria, mas apenas três exemplares. Corremos de novo à loja, esperamos de novo no estacionamento e agora sim, Pedro encontrou o DVD tão ansiosamente desejado. Ficou feliz. É muito dele agradar as pessoas. 

E aí Pedro nos levou á Estação Ferroviária de Atocha.
Atocha um nome bem conhecido pelo atentado que recebeu de terroristas. Todas as linhas de proximidades de Madrid param nesta estação. É onde também ficam os trens de alta velocidade AVE (alta velocidade espanhola)

Demos umas voltas por um jardim interno dessa mesma estação. É um jardim tropical que está constantemente sendo borrifado com água para manter a umidade.


Atentados a Atocha
Os atentados de 11de março de 2004, foram uma série de ataques a  quatro trens da rede da periferia de  Madrid levado a cabo por terroristas
Se trata do segundo maior atentado cometido na Europa, com 10 explosões quase simultâneas em quatro trens, na hora de pico da manhã,entre as 7:36 e às7:40 .        Ficaram conhecidos como 11-M
Mais tarde a policia encontraria artefatos que não haviam explodido. Faleceram 192 pessoas e 1.200 ficaram feridas.  

E foi erguido um monumento de saudade às vitimas do 11-M. Para sua construção se usaram peças de vidro tipo borosilicato, cujas principais características são sua elevada resistência ao calor e às mudanças de temperatura extrema, alem de combinar uma alta transmissão luminosa e resistência mecânica. O monumento é uma referencia arquitetônica e uma amostra inequívoca de solidariedade, memória e dor.A cúpula de vidro tem uma altura total de 11,3 metros e 15.000 unidades (tijolinhos) onde estão escritos os nomes dos mortos e frases ditas por sobreviventes.



                        
 Não consegui ver Guernica no Museo Reina Sofia  – sábado, muita gente e já era tarde – mas vi o monumento  do 11-M. Se Guernica representa a violência em uma data (ditadura Franco), o monumento 11-M representa a violência atual. Violência por violência senti a emoção da atual.

E ainda passamos pela praça de toros de Madrid. A Plaza de Toros que é uma famosa construção em Madrid e tem ao seu redor esculturas representativas.

Tem capacidade para 25.000 pessoas e funciona de março a dezembro. Ainda há touradas em Madrid.




 Sabedor de que queria muito conhecer seus netos trigêmeos, que eu chamo de meus bisnetos virtuais, Pedro movimentou-se para conseguir que Iolanda, a mãe deles e Fernando o pai, nos encontrassem em um shopping enorme nos arredores de Madrid. (?) O filho tinha saído da cidade e não o conhecemos. Reservas feitas, éramos nove para o almoço.
Maria Inês estava no hotel estudando. Mas aí o remorso bateu, telefonamos para ela e conseguimos tirá-la do computador. A apanhamos para ir conosco. Nossa mesa então tinha 10 pessoas. Numero bonito para uma despedida.

Lugar amplo, bonito, comida deliciosa e companhia mais do que prazerosa.  


E agora os meus bisnetos virtuais. Conheço-os desde que tinham poucas semanas de gestação, quando Pedro me mandou o primeiro ultrassom de Iolanda,com os três ainda embriões bem visíveis.


                Ultrassom mostrando os três embriões em 16 de dezembro de 2000

Acompanhei cada ultrassom, quando eles nasceram, quando foram crescendo. A dedicação de Pedro a eles sempre foi acompanhada por mim.

Agora eles têm quase 11 anos. Vanessa a menina, está linda, já cresceu mais como se sabe pela fisiologia hormonal.  Gonçalo ainda vai chegar á irmã e seguramente passá-la. E Rafa está sendo criado com todo amor da família e não é por ser diferente que não seja bem amado.

A bisavó virtual orgulhosa de seus bisnetos virtuais – Vanessa –Rafael e Gonçalo

TODA VIAGEM VALEU POR ESSE MOMENTO

 Despedidas emocionantes, agora Pedro levou Maria Inês e Marlene para conhecer sua casa, seu escritório, seus bichos, e toda a maravilha que é sua organização, suas produções. Discorreu sobre seus hobbys (fotografia), seus trabalhos de informática, sempre com equipamentos e última geração e sempre executando tudo com a máxima perfeição.

Suas piéces de resistence  são os animais conservados em acrílico. Já falei neles, mas Maria Inês não os tinha visto. Encantou-se e recebeu de Pedro a promessa de que teria as receitas de como foram feitos para tentar o processo em cérebros.

Na casa de Pedro e Pilarim o momento do presente de Pedro para Maria Inês – o DVD do documentário sobre Ramon y Cajal. Emocionante para quem dava e emocionante para quem o recebeu.

E ainda mais uma gentileza de Pedro. Quando nos levou no hotel e soube que a Van que ia nos levar ao aeroporto às 03h00min da manhã não cumpriria seu compromisso, se prontificou a nos levar, durante a madrugada.  Nosso voo saia de Madrid para Barcelona e depois para Veneza, às 6:00h.

Despedimo-nos em Barajas. Coração apertado.

 Quantos anos mais ficaremos sem nos ver!!!!!!!!!

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Você e todos os seus momentos são admiráveis e dígnos de exemplos para nossas vidas!
Bj. Célia.