segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Reportagem da festa dos 20 anos da UATI na versão poética e encantadora de Jolanda Gentilezza

OS 20 ANOS DA UATI
UNIVERSIDADE ABERTA ÀTERCEIRA IDADE – USP
22/10/2013

Considerações e des-considerações:
As “Misses” são interessantes mulheres da terceira idade  (ou aproximando-se dela), que estão chegando para o café da manhã comemorativo dos 20 anos da UATI, às 9:00 horas de um ensolarado dia de outubro na Biblioteca do Instituto de Psicologia da USP. Todas vaporosas, alertas, educadas, à vontade: a USP é o ambiente delas. Alguns homens – tímidos diante da esmagadora maioria feminina - também vão entrando.
Sentada num canto do salão, tenho a panorâmica perfeita da chegada das Misses, umas andando altivas em seus saltos altos, outras pilotando sapatos cômodos. Algumas lindamente penteadas, outras com cabeleireiras que se impõem sozinhas sem a ajuda de profissionais da beleza.  Todas com algum enfeite: um colar, um brinco, um anel, uma echarpe, um foulard, o eterno feminino nunca decepciona, graças a Deus. 
Afinal, o que distingue uma mulher da segunda idade daquela da terceira idade? Na mais jovem, há em primeiro lugar o salto alto vertiginoso, acompanhado da barriga tanquinho, da maquiagem moderna e da clara intervenção de um cabeleireiro.  As consequências são um divisor de águas: de um lado o andar ondulado da pantera, a circe fatal,  de juba soberba, do outro lado a leoa com implantes e pelagem curta. A primeira emana feromônio Chanel no 5, a segunda lança mão de canela,  gengibre e pirimpimpim ao forno: poções de amor – infalíveis - para conquistar pelo estômago.
A primeira tem vaidade mulieribus, a outra até gostaria de ter, mas – ahi, que cansaço – desistiu em nome da praticidade e da sobrevivência. Se na primeira as roupas lambem lascivamente o corpo, na segunda escondem silenciosamente.
Na primeira o corpo é ereto e elástico e o sorriso é convidativamente debochado –“ainda não cheguei aí, senhoras!” Na segunda o excesso de juventude traz aquele sorriso irônico do tipo “já passei por tudo isso”. Alice ainda mora aqui, mas os andares superiores são off-limits. Para as primeiras Vinícius escreveu “Receita de Mulher” (As muito feias que me perdoem, mas beleza é fundamental...), as segundas estão fora do prazo de validade, mas se cuidam porque já não se fazem mulheres como antigamente. São insubstituíveis.

Eu sempre amei as feiticeiras ... mas agora que eu também sou “de maior terceira”, o ponto de observação muda completamente de perspectiva... era mais fácil ter carinho pelas feiticeiras não sendo uma delas. Mas estou fazendo os ajustes necessários: conservei um único par de saltos altos e todos os dias, religiosamente, olho para eles. Mais dias, menos dias, deixarei de suspirar. 
Jolanda  está conversando com Bill.À direita Frima e à esquerda Elides

Um comentário:

Wilma Santos disse...

Ah gostei!! "...as segundas estão fora do prazo de validade, mas se cuidam porque já não se fazem mulheres como antigamente. São insubstituíveis." A autora é a de colar vermelho, faz todo sentido, quero ser assim quando crescer,rsrs