terça-feira, 12 de junho de 2012

VIAGEM - 1º DIA

Conforme expliquei na minha postagem de 23 de maio, estou colocando no ar  o texto que se refere ao meu primeiro dia de viagem.


PRIMEIRO  DIA – SEXTA  FEIRA – 30 DE MARÇO  DE 2012

Na primeira hora deste dia (01h35min) estamos decolando do aeroporto de Guarulhos (São Paulo, Brasil) rumo a outro hemisfério. Saberemos que chegamos lá quando nos saudar a constelação da Ursa Maior. É a constatação material, visivel, da mudança de hemisfério.
A constelação da Ursa Maior (UMa) é uma das mais facilmente identificáveis nos céus noturnos do hemisfério norte. As suas estrelas principais conferem a esta constelação uma imagem muito característica como se mostra na figura





Assim ao longo da noite veremos a Ursa Maior em diferentes perspectivas. Sendo uma constelação que está muito próxima do polo, permanecerá visível, total ou parcialmente, durante toda a noite do hemisfério norte.
Não vimos o avião, porque entramos diretamente pela conecção, mas já sabia que era um Boeing da Singapore Airlines
O Boeing 777 é um avião widebody  (fuselagem larga) de longo alcance, projetado e fabricado pela companhia norte-americana Boeing. É o maior avião bi-jato do mundo, com o motor mais potente já produzido. Pode transportar entre 283 e 368 passageiros na configuração de três classes, por até 17.000 km, ligando as principais capitais sem escala. As principais características visuais do Boeing 777, que o diferem dos demais aviões, são o diâmetro de suas turbinas  (são as maiores do mundo), seu trem de pouso com seis pneus cada (total de 12), e sua fuselagem tipicamente circular e comprida.. O modelo original produzido foi o 777-200, que entrou em serviço em 1995, seguido do modelo 777-300, com mais 10,1 metros de comprimento, entrando em serviço em 1998. A versão extended-range (ER), com maior alcance em voo, entrou em serviço em 2004 (ER)
 A partir de 2008 a Singapore Airlines passou a operar a maior frota do avião em todo mundo. O modelo mais utilizado atualmente é o 777-200ER, com 410 unidades entregues até 31 de maio de 2009. Devido aos crescentes custos com combustíveis nesse período, as empresas aéreas optaram pelo 777 como uma alternativa muito eficiente frente aos outros aviões widebody. Seus motores são 40% mais potentes e consomem 22% menos combustível
 O Boeing 777-300ER é a versão Extended Range (Alcance Estendido) da versão 777-300, e contém algumas modificações, incluindo os motoresGeneral Eletric 90-115B, que são os motores aeronáuticos mais poderosos do mundo, Outras características incluem asas com desenho mais moderno, fuselagem reforçada e mais pesada e maior alcance, que é de de 14,685 km.
E aqui está ele

Recepção cordial, simpática, risonha, das lindas comissárias nos seus trajes típicos, coloridos e ressaltando a elegância das “meninas”.

O encaminhamento para nossos lugares nos fez passar pela primeira classe, evidenciando os diferentes níveis sociais.  Não tem jeito?  A passagem do bom para o “menos bom”  assusta e entristece um pouco. A humanidade explicitada. Apenas uma constatação.
Logo começam os agrados gastronômicos. E um café da manhã  completo com cardápio internacional acalma o estômago e convida para um cochilo.
Quando o avião atingiu a velocidade de cruzeiro, já acomodadas para o descanço noturno, a lembrança dos acontecimentos de poucas horas antes se fez presente. Fez parte real desse primeiro dia.
Chegamos às 22h00min e no chek-in alguem pediu para me fotografar. Não entendi porque, mas consenti. E em seguida, novo convite e algumas fotos foram tiradas como registro do primeiro aniversário da Singapore Airlines no Brasil, em São Paulo. Por que não? E as fotos estão aqui.


Embarque à 01h35minh, noite tranquila, sem turbulencias regada a lanchinhos, refeições completas. Sempre sorrisos e atenções.  12 horas no ar como se estivesse em casa. Rota pela costa do Brasil até o Rio Grande de Norte para só então desviar rumo à Europa.  Passa por Cabo Verde e norte da África, e agora sim rumando para Barcelona, seu destino intermediário antes do destino final, Singapura.  

Flavio, usando a tecnologia que conhece bem, com um programa Flightware, foi seguindo o avião por todo o caminho. A cada momento sabia exatamente onde eu estava. Maneira sua de me acompanhar.
Uma aterrisagem perfeita e aí sim o “desovar” dos mais de 300 passageiros exigiu paciência. Impossivel ser de outro modo.
Até logo Singapore Airlines. Até dia 23 quando voltamos a nos encontrar.  

Chegamos finalmente a Barcelona, única escala. São 17h35min, considerando às 5h de diferença pelo fuso horário.
O aeroporto de Barcelona é o segundo do país depois de Barajas em Madrid e é conhecido como Aeroporto del Prat.  Fica a 14 km do centro da cidade (ou 12, OU 10 segundo outros registros) .   De arquitetura moderna apresenta obras de  arte como O Caballo,  escultura de Botero. Tem um amplo estacionamento coberto e em vários niveis.



Fernando Botero é pintor e escultor colombiano (mexicano?) nascido em 1932 em Medellín (Antioquia). É considerado o artista vivo originário de América Latino mais cotizado atualmente no mundo.   Seus protótipos obesos e sua figuras descomunais e monumentais lhe deram fama  internacional.

Começamos a viagem pela Espanha.  Por quê? Planejamos dessa forma ou isso aconteceu porque escolhemos a Singapore Airlines para voar e essa companhia só faz escala na Espanha, em Barcelona? Acho que foi por isso.


O certo é que com a Espanha tenho uma ligação emocional direta porque minhas raizes estão nela. Meus avôs vieram de Espanha e meu pai veio “encomendado” de lá. E, alguma coisa arquetípica aflora no sentimento e no comportamento.  
E Baracelona? O que é? Como é?

Com um ônibus do aeroporto fomos até a Praça Cataluña à procura do hotel que tínhamos reservado, Hotel Central Barcelona na Carrer (rua) Diputació  346 na Eixample, um  distrito da cidade próximo ao centro.


Andamos uns 10 quarteirões provavelmente pela Avinguda (avenida)  Diagonal, perguntando  e perguntando.  E cada uma de nós puxando duas malas relativamente pesadas e mais as bolsas.    De quando em vez parávamos, descansávamos:
.
Finalmente encontramos o hotel quando já estávamos exaustas.  Era na Eixample, distrito que ocupa a parte central da cidade.
Nosso quarto era no  segundo andar à direita

Hotel razoável, mais para albergue, com um elevadorzinho no qual cabiam só duas pessoas. Uma de nós sempre tinha que ir pelas escadas subindo dois andares. Além de pequeno, tinha uma porta pantográfica antiga que sempre espremia ou bolsas ou nós mesmas. Provocou muitas rizadas. Paredes revestidas de papelão mereciam fotos que nos esquecemos de tirar.  No hotel, tudo muito antigo com portas sólidas e trabalhadas. Bonito mesmo.
Nos instalamos e fomos comer em  um restaurante xinês (sim, xinês com X) e dormir.
Nessa noite tive pesadelos, medos e pavores pelos barulhos desconhecidos.  Momentos de pavor causados pelo cansaço. Custei a me acalmar para dormir.
Esse foi o nosso primeiro dia de Europa, de Espanha, de Barcelona.











2 comentários:

Célia Rangel disse...

Neuza! Sensacionais desafios e obstáculos de vida a vencer! Seu post, uma aula de história, geografia, astronomia, sociologia e muito mais... Aula prática! E, ilustradas com belas fotos! Parabéns!
Bj. Célia.

Mauricio Gomide disse...

Muito obrigado por voar conosco !!!
Espero encontrar a senhora em outros voos com a Singapore Airlines