sábado, 19 de março de 2011

AYRTON E SUA GAITA

Continuo tendo meus flashs de memória. Todo mundo tem, só que não presta atenção nem dá continuidade.

Muita gente conhece o famoso flash de memória de Proust  que, ao mergulhar a não menos famosa “madeleine” no chá que tomava na casa de sua tia, teve assunto para escrever os vários volumes de “Em busca do Tempo Perdido” onde relata toda sua vida. Eu prefiro usar o flash “tupiniquim” de Carlos Heitor Cony em que o que detona a memória do pai é  a letra de um embrulho, o nó e até o cheiro.

Feito esse preâmbulo vamos ao meu flash, ao meu resgate de memória. Um desenho  apresentado em um teste  de psicologia  - uma gaita – detonou a memória de um tempo e histórias de familia.

Ayrton, meu marido durante 46 anos,  veio de uma familia de músicos inatos, com “ouvido absoluto”. Tocavam vários instrumentos de “ouvido” e em uma cidade de interior de poucos recursoso musicais tiveram até uma orquestra sinfônca de amadores pelos idos da década de 40. O pai tocava flauta, o irmão, violino, a irmã, piano e o Ayrton ensaiou tocar trombone. Claro que não deu certo porque é um instrumento muito grande, desajeitado, som muito grave e perturbou a familia toda. Mas, era ensaio  de adolescente. Desistiu.

A vida continua, prioridade é a profissionalização, depois a constituição de uma familia e quando o tempo era um pouquinho maior, ele comprou uma gaita  de qualidade e tentava tirar sons que ele já conhecia de outra gaitinhas  simples. Mas, voltava sempre a uma das músicas do seu tempo de rapaz  na década de 50, de música dos bailinhos e dos conjuntos  da cidade. Musicas do tempo de Glenn Miller.....E os primos, cada vez que ele pegava na gaita já diziam : “Vai tocar aquela....” que era sua marca registrada.

Lembrei da gaita mas não lembrei da música a não ser dias depois, não sei porque. E comecei um cantarolar mudo. Era “Smoke gets in your Eyes”.

You Tube existe para isso, fui procurar e achei várias interpretação: Miles Davis, Glenn Miller , The Platers, Nat King Cole...Baixei, arquivei e agora posso ouvir quando quero. Prefiro a versão que mais se aproxima da gaita, a do sax ou trompete.
Este é mais um pedacinho de nossa vida que eu posso passar para o espaço e compartilhar com meus amigos.
Aqui vai um dos vídeos da música “Smoke Gets in your Eyes”



4 comentários:

Expresso Clandestino disse...

Quanta sensibilidade. Parabens!

Depois dá um pulinho no meu blog, esta semana escrevi sobre o mesmo tema.

Bom fim de semana.

Bjs

Lili disse...

Cara Vovó Neuza, adorei a postagem! Enquanto ouvia a música, lindíssima, li o texto "Somos Mulheres" escrito pela sua filha. Posso dizer que foi uma excelente maneira de começar meu domingo... Abraços e tudo de bom! Lili

Jurema de Carvalho disse...

Lembrei do meu pai tocando sua gaita. Vagamente me lembro da musica, mas a gaita continua em familia. Nao é mais tocada, mas guardada com carinho pelo seu neto Victor.

Anônimo disse...

Vovó Neuza, adorei a história da gaiata e a música que o Sr. Ayrton tocava.
Gosto muito destes flehs de memória que se transformam em histórias recheadas de afeto.
Parabéns pelo blog!

Grande abraço,

Catarina