PALMEIRAS REAIS -UM PROBLEMA NA USP


Oi Cristina Moreno de Castro. Usei alguns dados do seu belo artigo  sobre as palmeiras da USP para compor o texto para  o meu blog. Posso? 

Quando o campus Butantã  da Cidade Universitária foi projetado,  uma reserva de Mata Atlantica   constituida de  flora nativa com  cedros, aroeiras, paineiras, palmitos jussaras e  pimenteiras,  foi identificada  e protegida.  Os primeiros edificios erguidos  no campus -  Edificios  Ernste Marcus (Zoologia e Fisiologia)  e   André Dreyfus (Biologia)  mudaram da Glette para lá a partir de 1958 e mantiveram e respeitaram essa reserva. .

Hoje, 60 anos depois  a reserva está morrendo atacada por uma  invasão de Palmeiras Reais, que alguém trouxe da Austrália. ´Ninguém percebe,  e não se dão conta do problema, chamando a  atenção só o belo verde que as Palmeiras reais  promovem.
Mas já se sabia disso há 20 anos.  Nada menos do que 3.000 palmeiras adultas  são as invasoras e as mudas são incontáveis.

 A reprodução  da Palmeira Real  é botanicamente correta e completa: - cada árvore produz de um a dez cachos e cada cacho tem  cerca de 3.600 frutos que dão o ano inteiro.  Naturalmente frutos com sementes que caindo no solo germinam e dão novas mudas.  Em quatro anos  a planta já está em idade reprodutiva.  A multiplicação    é  em progressão geométrrica    Imagine  o que acontece .Foi preciso muito empenho dos biólogos que sabiam e se preocupavam com o problema para que só agora  autoridades se movessem. Espera-se uma licitação para o manejo e resolução do problema.

Para matar a palmeira é necessário  galgá-las  com esporas e cortar o ápice do tronco, onde está o palmito. Sem este a palmeira morre e se decompõe sem danos para os vizinhos.   Em compensação haverá muito palmito nos pratos do bandeijão.

O Jardim Botanico, assim como o Trianon,  tambem vão necessitar de um plano de manejo. O  plano  para a USP vai servir de teste para os demais parques da cidade de Sao Paulo e posteriormente do Estado de Sao Paulo e outros estados do Brasil. 

Veja como é a palmeira Imperial.



Comentários

disse…
Conheço um parque em Mauá com o mesmo problema.

Abraços
disse…
Meu e-mail é:

noelifs@yahoo.com.br
Neia Silva disse…
nao sabia mas e muito interessante,seu comentario
Anônimo disse…
Vovó Neuza, tomei conhecimento de você e desse Blog através da coluna Delas no IG e confesso que estou apaixonado pelo seu vigor. Parabéns por chegar à essa altura da "juventude" e manter acesa a chama. Só achei que fala pouco de suas experiências profissionais nos seus Blogs. Será que apesar de tanto preparo, a senhora também teve um emprego que não despertou suas "paixões"? Fica aqui só essa sugestão.
Gostaria que lesse um texto meu chamado DOWN que é exatamente um paradoxo de tudo que você é. Segue o link e parabéns pela lição que me deu sem saber:
http://recantodasletras.uol.com.br/artigos/1737168
Vek de Souza disse…
Meu nome é Vek,30 anos, mãe, dona de casa, estudante, esposa, secretária, artesã...definitivamente estou apaixonada por você(não é falta de respeito, mas uma pessoa com tanto vigor, tão ativa e tanta jovialidade, não poder ser chamada de "Senhora").
Parabéns, é uma grande exemplo pra mim, minhas filhas...nos estimula muito a viver nossas vidas em sua essência, assim como você faz! Quanto orgulho de seus filhos e toda a família!
Que o Senhor continue abençoá-la com tanta disposição que não se fada à inércia, o que seria mais óbvio para muitos nessa idade.

Um forte abraço!

Vek
veksouza@gmail.com
Anônimo disse…
Dona Neusa, A sra.nos enche de orgulho com tanta sabedoria, inteligência e força de vontade! Também voltei a estudar mais tarde, e a senhora me enche de forças para nunca parar !! Um beijão, boa sorte e tuso de bom para a senhora!
Anônimo disse…
Boa tarde....
Parabéns!!!! Adorei encontrar seu blog, e agora vou estar sempre "bisbilhotanto" ele...
Adoro pessoas empolgadas com a vida, elas me fazer renovar minhas energias e acreditar que tudo que fazemos é importante e pode mudar a realidade, nem que seja de uma única pessoa. Fico triste ao ver pessoas lamentando e reclamando de tudo o tempo todo...
Adoro também aprender coisas novas, mas infelizmente não tenho o mesmo empenho que você...he he he
Lendo seu blog, pensei nos meus pais, que seguiram seu caminho...e do quanto deixamos de aprovetá-los quando ainda temos possibilidade...
Parabéns pelo seu ânimo, sua disponibilidade de compartilhar tantas idéias e histórias.
Beijos!!!!
Dani(danibernardes@ibest.com.br)
Cleyton Cabral disse…
Acabei de ouvir sobre você na rádio. E curioso cheguei ao seu blog. Você passa uma tranquilidade uma paz em seus posts. Um abraço e aguardo sua visita no meu blog: www.cleytudo.blogspot.com

Abs,
Cleyton.
Anônimo disse…
Eu realmente estou apaixonada por você! Você me mostrou que nao precisamos nos importar pela idade ou pelo tempo... Eu gostaria de conversar mais com a senhora, tenho apenas 18 anos e parece que você é tão parecida comigo... bom, entre em contato comigo, eu li que você não tem com quem mais dividir seus gosto, boom, acho que a senhora achou com quem dividir. Meu email, kauani.penteado@hotmail.com

Fico no aguardo, Kauani.
Maria Luiza disse…
Olá
Parece que já somos velhas amigas, pois acompanho o seu blog há algum tempo. Também já assisti a uma entrevista no programa da Ana Maria.Hoje, posso afirmar que sou uma fâ. E também dizer que me inspirou para eu criar o meu blog.Como é bom expressar os nossos pensamentos! Então só tenho a agradecer e desejar tudo de bom para você.
Anônimo disse…
Gostei do seu blog. Vou acompanhar e vou fazer um post sobre ele no meu. Parabéns!!
Anônimo disse…
Vovó, obrigado pelo carinho em ler minhas amarguras. Realmente escrevi aquilo num dia que estava pra baixo, daí o nome (DOWN), mas de regra geral eu sou de bem com a vida. Escrever pra mim funciona exatamente como válvula de escape. Geralmente escrevo o que não consigo falar, e seus elogios foram um estímulo muito grande nesse momento quando já me achava sem talento algum. Muito obrigado e que Deus te abençoe muito. Realmente a Sra. é uma de suas filhas diletas.
Neto.
netocazuza@hotmail.com

Postagens mais visitadas deste blog

QUARESMEIRA OU MANACÁ DA SERRA?

UM DOMINGO NO MUSEU DA CASA BRASILEIRA

PAINEIRAS E MARITACAS