segunda-feira, 13 de agosto de 2012

VIAGEM - OITAVO DIA – SEXTA FEIRA – 06 DE ABRIL DE 2012


 Levantamos um pouco mais tarde, cama quentinha. Ao abrir a janela uma surpresa: havia nevado durante a noite e estava tudo branco. Os pinheiros que rodeavam o hotel estavam cobertos de neve. Foi uma surpresa porque nesse periodo já não devia nevar. Marlene, a que queria pegar na neve, ficou eufórica.

Acertado o hotel, quando Maria Inês foi pegar o carro ele estava coberto de gelo.
Brincadeira com bolas de neve.

Saímos às 11h e começamos a descer a serra. Na estrada principal,a Rodovia Federal  A 92, em direção à Malaga e saída para Sevilha.
Em cada momento Maria Inês queria ir para Málaga, mas acabávamos mesmo indo em direção Sevilha. Porque Málaga atraia tanto?
Cidade de Málaga é a Capital da Costa del Sol e uma das principais capitais do turismo na Andaluzia.
Falar de Málaga é falar de sol, de praia, de turismo, falar de Málaga é também falar de arte e de Pablo Ruiz Picasso, do Festival Internacional de Cinema, e do seu centro histórico.

De Málaga, devemos ainda destacar a sua parte antiga e histórica: a Plaza de La Merced, a Calle Larios e a Alameda são ruas muito importantes no dia a dia, situadas numa parte antiga da cidaderepleta de bares de tapas, de lojas e de vida, muita vida.
Málaga é a cidade dos monumentos e da cultura, não apenas por causa do Museu Picasso, mas também pela sua Catedral, pelo Castelo de Gibralfaro e pela Alcazaba.
                         
 Na estrada para Sevilha passamos por várias cidadezinhas em que predominavam oliveiras  e amendoeiras.   Muitas torres de energia eólica
Uma dessa cidades é Estepa
Esta pequena cidade 24 km a leste de Osuna é famoso por duas razões muito diferentes.Principalmente que é conhecido para os biscoitos conhecidos como polvorones e Mantecados que ele padeiros fazem cada Natal e que são consumidos em toda esta região da Andaluzia

Como a distância de Sierra Nevada e Sevilha não era muito grande, (um pouco mais de 200 km) deu tempo para observar bem a estrada. Muitas oliveiras e amendoeiras. Àrvores muito parecidas.

Entramos em Sevilha ás 14h e tínhamos tempo para dar uma vola pela cidade. Ruas fechadas porque na sexta eira santa as procissões dominavam. Tivemos que desviar muito.

Sem dúvida alguma, a principal festa de Sevilha é a Semana Santa, na qual 59 irmandades desfilam pelas suas ruas, saindo dos diversos templos até à "Carrera Oficial" (percurso oficial obrigatório para todas), que começa na Campana e finaliza ao sair da Catedral, onde se realiza a estação de penitência. Um terço da população participa nas confrarias como irmãos da luz, "costaleros" ou membros de uma banda.

Pelo que dizem, Sevilha é uma cidade que vale a pena visitar com tempo. Gostaria de ter feito isso, mas nosso tempo era contado e já tinhamos tudo agendado.
Na volta pela cidade passamos por ponte sobre o maior rio da Andaluzia o Guadalquivir (657 km), que nasce em Jaén, passa pelas cidades de Córdoba e Sevilha, e desemboca em Cádiz.
Iamos vendo cartazes de propaganda e gostamos dos nomes PELICULEROS (cinéfilos)  e PELUQUEROS (cabeleireiros). E, como não vimos Sevilha como queríamos nos restam as fotos resgatadas em pesquisas
Catedral de Sevilha

                                         Rio Guadalquivir - Sevilha

Chegamos ao aeroporto e entregamos o carro com a reclamação do GPS que não nos adiantou nada. Foi descontado  seu aluguel.
Fizemos 1400 kms com o carro

Comentando – Não gosto de viajar de carro em estradas.  Concordei porque era uma de três e nessas viagens é preciso um consenso. Viajei sempre no banco de tras porque assim não tomava muito conhecimento da estrada e do transito. Fui de copiloto com um mapa dando as instruções.

Mas, tenho que admitir que: A VIAGEM DE CARRO FOI BOA, VIMOS MUITAS COISAS INTERESSANTES, EMBORA PASSANDO BATIDO POR MUITOS LUGARES. PARAVAMOS ONDE QUERÍAMOS, O TRABALHO COM AS MALAS FOI MENOR. E, A CALMA, A PRECISÃO E A RESPONSABILIDADE DE MARIA INÊS COMO MOTORISTA FEZ COM QUE EU APRECIASSE TODO O TRAJETO. CERTAMENTE UMA VIAGEM  POSITIVA QUE EU NÃO TERIA ESCOLHIDO MAS NÃO ME ARREPENDO DE TER CONCORDADO.
Sou introspectiva. Não me empolgo, não traduzo minhas emoçãos com palavras. Tenho-as comigo e curto durante um longo tempo.

Na nossa agenda agora: voo de Sevilha a Lisboa.
Quando da reserva de voo, não encontramos outro que estivesse dentro de nossa programação e pagamos muito caro (1093,89 euros ) por uma hora de voo. Se não reservássemos esse voo, teríamos que dormir em Sevilha, procurar hotel o que seria dificil por ser sexta feira santa, e um fim de semana comprido para turistas e habitantes.

Quando fomos fazer o check – in (carregadas de malas) pedimos janelas no avião.
O avião nos esperava no meio da pista e tivemos que usar ônibus para chegar a ele. Operado pela Portugalia (TAP??) o avião era  Beechcraft 1900D


E aí nos demos conta que estávamos em um voo de executivos (por isso caro), com 19 lugares só distribuídos em duas filas de poltronas. E portanto, SÓ HAVIA JANELAS.  Foi uma risada só. 

Uma hora de voo, novamente carregadas de malas descemos no aeroporto Portela de Lisboa, mais ou menos central.  Já noite, fomos para o Hotel Roma um bom hotel, em uma grande avenida. Perto do metro – estação Roma, foi muito bom para nosso deslocamento.

Jantamos?/ Não me lembro.

Um comentário:

Fernanda Lopes disse...

Oi Vovó Neuza, tudo bem? Adorei seu blog! Sou jornalista e gostaria de entrevistá-la para um documentário sobre juventude, pois achei que a senhora super moderna e jovial! O que acha? Meu email é fernanda48@gmail.com, entre em contato comigo, por favor!
Obrigada