quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

SOBRE GUILHERME DE ALMEIDA


Ao escrever sobre a Canção do Expedicionário e postar na íntegra sua letra, achei que ficou faltando alguma coisa: escrever sobre seus autores. Sobre Spartaco Rossi quase não há registro, mas sobre Guilherme de Almeida há muita coisa recuperada inclusive porque no final de 2010 foi reaberta ao publico a Casa Guilherme de Almeida.

Guilherme de Almeida nasceu em Campinas aos  24 de julho de 1890 e morreu em  São Paulo aos  11 de julho de 1969. foi um advogadojornalistacrítico de cinema, poeta, ensaísta e tradutor brasileiro.
Filho de Estevam de Araujo Almeida, professor de direito e jurisconsulto, e de Angelina de Andrade. Foi casado com Belkiss Barroso de Almeida (Baby), de cuja união nasceu o filho, Guy Sérgio Haroldo Estêvão Zózimo Barroso de Almeida.
Sobre o casal Guilherme-Baby, há uma citação interessante, transcrita aqui:

“Sobre as cartas que Baby (cearense de Quixadá, mas radicada no Rio desde pequena) começou a enviar ao poeta, sem identificar-se, escritas em francês perfeito, numa bela caligrafia:  a certa altura, GA pediu- lhe  um retrato.   Ela então enviou não um, mas, de cada vez, o pedaço de um, sempre de fotos diferentes, para que ele próprio construísse a imagem dela.

 Então ocorreu o lançamento de um livro de GA...e quando a jovem se aproximou para o autógrafo, ele a reconheceu . Houve entre os dois uma paixão fulminante!”

Estes dados estão em uma  matéria da jornalista Maria Thereza Cavalheiro, suplemento Leitura, datado de 8 de setembro de 1989 .
Ela entrevistou o poeta que lhe contou estes detalhes sobre sua vida.

Guilherme de Almeida foi um dos fundadores da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, onde lecionou Ciência Política.
Guilherme de Almeida pertenceu só episodicamente do movimento de 1922. Foi o primeiro "modernista" a entrar para a Academia Brasileira de Letras (1930).
Teve  grande destaque na Revolução Constitucionalista de 1932.
 Em 1958, foi coroado o quarto "Príncipe dos Poetas Brasileiros" 
Entre outras realizações, foi o responsável pela divulgação do poemeto japonês haikai no Brasil .
Haikai  é uma forma poética de origem japonesa, que valoriza a concisão e a objetividade. Os poemas têm três linhas, contendo na primeira e na última cinco caracteres japoneses (totalizando sempre cinco sílabas), e sete caracteres na segunda linha (sete sílabas). .

Inaugurado em 1979, o museu biográfico e literário Casa Guilherme de Almeida  após um período de  reestruturação, foi reaberto em 11 de dezembro de 2010.
Paralelamente às atividades museológicas, tem um Centro de Estudos  de Tradução Literária, abranjendo as áreas de atuação do poeta.
Mantém também um Núcleo Educativo  preparado para mediar visitas participativas ao museu.
Guilherme de Almeida  residiu na Casa desde 1946 até sua morte em 1969. Seus aposentos são mantidos mobiliados e com objetos pessoais do casal Guilherme-Baby. Na  mansarda (sotão) estão reunidos seus objetos de trabalho de vida ativa (participante da Revolução Constitucionalista de 1932) e épocas de um tempo da História de são Paulo.
Contemporâneo do movimento de 1922, era amigo de alguns artistas que lhe deixaram obras compondo a decoração da Casa Guilherme de Almeida.  Pode-se ver nas paredes , Mulher de Vestido Vermelho (Anita Malfatti), Mulata Nua Adormecida (Di Cavalcanti) Retrato de Baby de Almeida e de Guilherme de Almeida (Lasar Segall),Romance (Tarsila do Amaral) entre outros. E sobre um pedestal a escultura Soror Dolorosa de Brecheret.
A Casa Guilherme de Almeida é uma instituição da Secretaria de Estado da Cultura e administrada pela Poiesis(Organização Social de Cultura).
Fica no Pacaembu, na rua Macapá187 – Pacaembu.


 O seu setor educativo  tem atualmente:
 Oficinas especiais para terceira idade.
Quartas, das 10h às 12h.
Dias: 12, 19 e 26 de janeiro e 2, 9,16 e 23 de fevereiro.
Número de vagas: 10
Inscrições: educativo.cga@poiesis.org.br 

Visitação seguida de rodas de leitura, baseadas em reportagens de Guilherme de Almeida sobre bairros estrangeiros de São Paulo, publicados no jornal O Estado de São Paulo, sob o título Cosmópolis, em 1929.

É  MAIS UM LUGAR DE CULTURA PARA SE CONHECER.


2 comentários:

karen kipnis disse...

Obrigada, Neuza, pelo carinho!
Aproveito para divulgar o site:
www.casaguilhermedealmeida.org.br
Telefones:3673-1883/3672-1391
Beijos, Karen Kipnis

Eulália Maria disse...

Neusa,
nao é um comentario, apenas uma forma de me comunicar com voce...meu nome é eulalia maria martins da silva, filha de maria antonia guerreiro, filha de ernesto guerreiro, filho de giuseppe guerreiro, na verdade giuseppe guerriero, nato a campo di san matino, em padova, veneto italia, filho de giovanne battista guerriero e maria luigia ometto.
Sou de araçatuba, prof.aposentada (odontologia/UNESP).
Procuro por descendentes do casal giovanne battista guerriero e maria luigia ometto no brasil.
Sei que quando o bisavo giuseppe veio, havia um irmão.....acho que chamado luis. Tenho cidadania italiana reconhecida através deste bisavo.
meu e-mail:smme@terra.com.br
Abraços, grata
Eulália