sexta-feira, 7 de março de 2008

PEDAÇOS DE UMA HISTÓRIA DE VIDA

Como Foi bom

Amar sempre e sempre.
- no dia a dia de trabalho em que mãos apenas se tocam, mas o calor humano se transmitia.
- no roçar dos lábios do “até logo” de pressa.
- no “namoro” de amantes em que, mãos entrelaçadas, olhos nos olhos vivemos o prazer da “espera”...
- no contato pele a pele das caricias mais intimas num preparo para a posse efetiva. Calor de vida, calor de paixão, mistura de sons, cheiros e gostos passando de um para outro.
- na apenas proximidade do “depois” saciados de amor e da posse, no aconchego do abraço relaxado do sono.

Um comentário:

André disse...

ola vovo neuza sou a rosinha... puxa aqui tem muita coisa pra ler e comentar, mas devo ler com calma pois ainda nao consegui ler tudo, alias, estou lendo também a sua retrospectiva 2007... bom com o tempo vou lendo ta...
que bonito isso que li por ultimo (como foi bom), quando é que a senhora escreveu???
mil beijos e até o proximo comento.
rosinha