domingo, 9 de março de 2008

A SEMANA DA VOVÓ NEUZA

Amigos

Este texto é longo. Muito longo. A minha sugestão é que leiam por partes, dia por dia. Se tiverem fôlego, leiam tudo de uma vez. Se eu sobrevivi a a esta louca semana vocês poderão sobreviver à leitura do seu registro.

A semana que passou foi densa, variada, de muitas surpresas. Confusa porque algumas rotinas ainda não tinham sido estabelecidas. Itinerários estavam ainda sendo estudados e material sendo preparado. Pareço criança no inicio das aulas. Quero uma pasta para cada matéria devidamente identificada com etiquetas digitadas e impressas.


Na segunda feira, depois de "estudo" das opções, resolvi que vou de carro. Meninos deixam o carro no domingo à noite. Saí daqui antes das 7h e cheguei pelas 7:15. De ônibus certamente perderia a aula das 8h e se saio mais tarde pego congestionamento monstro na praça Panamericana. Chegar muito cedo não me aborrece. Enquanto espero leio.

ECA-USP. Primeira aula de História da Arte no Brasil, Prof. Tadeu Chiarelli. Muito impessoal, sério, não se chegou.Turma de graduação, matéria optativa. Uns 20 alunos e da Terceira idade só eu. Chocante nos meus cabelos brancos entre a moçada, mesmo assim, o Prof. não tomou conhecimento da minha presença.

Qualidade da aula boa, bom concatenamento de idéias, didática boa,mas sem entusiasmo. Terminou às 10h. Por que? Às 11 horas estavaem casa.

Coloquei apontamentos em ordem, fiz as pesquisas necessárias e fui organizar a lista telefonica de 2008. Serviço chato, demorado, mas necessário.

Nascimento do meu BLOG por insistencia do filho.Um pouco assustada, aos poucos começo a dominar e até estou gostando. Posso fazer comentários quase em tempo real.


A terça feira para mim é um teste de resistência. Começa com uma musculação pesada de 45 minutos. Continua com uma "corrida" até a Av.Rebouças, tomar o ônibus para a Cidade Universitária e atravessando a pé a praça da Reitoria e praça do Relógio, chegar à ECA para aula Leitura e Produção de Textos.
Encontro Terezinha Tagé, a profa. com quem me liguei muito no ano passado. É em uma sala de alunos de vários departamentos, uns 4 da Terceira Idade.

Durante análise de texto jornalistico já dei meu palpite, falei da estátua O Beijo no Largo São Francisco. Ninguem a conhecia. Já preparei o material para levar, documentando o que falei. Já o primeiro texto para ler. Leio nos intervalos, no ônibus, nos inicios de aula antes do prof. chegar e até enquanto não começa o concerto do Municipal. Não posso perder tempo. Terminei, mas ainda tenho que fazer o fichamento e os comentários.

Agora com calma vou de ônibus até o metrô Luz. Estou experimentando itinerários. Para chegar ao Museu da Lingua Portuguesa - pasme - é preciso subir a pé, 68 degraus. Quando encontro o guarda, ele muito gentilmente abre a porta do elevador com sua propria chave. Porque sou idosa. Os mais novos que se danem. Não é um procedimento normal. Teste de resistencia cardíaca.

Aula do Claudio Willer sobre Surrealismo. Aula pesada, quase toda girando em torno de André Breton e o romance Nadja,que teremos que ler.Às vezes me distraio a observar o pé direito da sala, as janelas de mais de 2 metros, o verde do Jardim da Luz recortado em um céu então azul puro.

No intervalo, no mesanino as colunas corintias quase podem ser tocadas. De cima, vejo o hall da centenária estação com escadas, corrimãos, lustre... tudo restaurado. Um prazer visual.

Saio as 17h e agora com toda a calma vou de metrô para a Casa das Rosas (qualquer dia destes falo sobre ela). Aula sobre Música Popular e o enfoque é o Nascimento do Samba e Noel Rosa. Não dá nem pra cochilar porque as musicas tocadas são conhecidas, muito bonitas esão comentadas por André Domingues e por todos.

São 21h, tomo o onibus para casa e agora sim cochilo, com medo de passar do ponto o que já me aconteceu uma vez, só que de dia. Ufa.Cansei até de escrever.


Na quarta feira só tenho aula à tarde, mas tenho que aproveitar essa primeira semana para atividades extras. Fui até a Widex comprar pilhas para a prótese auditiva e fazer a manutenção. Municipal buscar ingressos para concertos até o fim do mês. CRECI levar materal para a aula de amanhã. Falo no CRECI oportunamente.

De novo para a USP de ônibus que felizmente não demora tanto porque usa os corredores da Consolação e Rebouças. Aula do Francisco Rocha que eu já conhecia através da Cristina Freire. Falo deles em outra postagem.

Encontrei Marina Lourenção, conhecimento de mais de 55 anos, Elza Nespatti (das aulas da Cremilda), Dolli do curso do Willer, Anderson, do Escrevivendo e o Milton do Páteo do Colégio, que foi a grande surpresa.

Aula muito boa, professor envolvente no assunto e no tratamento pessoal. E o enfoque agora é Adoniran Barbosa e São Paulo no seu salto para a Modernidade. Saindo 17h ainda tive gás para ir ao mercado. Afinal também sou dona de casa e preciso abastece-la.


Na quinta feira, com a musculação me preparo para uma tarde importante. Começo hoje no CRECI (Centro de Referencia da Cidadania do Idoso) um curso novo sobre Resgate de Memória em Idosos mas agora em nivel de Capacitação Profissional para Agentes Multiplicadores. Coiss novas sempre geram expectativas. Mas, o grupo já estava fechado com 16 participantes.

Ainda não avaliei o perfil de todos mas são de nivel bom. E será mais fácil trabalhar com eles. Em compensação a responsabilidade é maior. Isso não me assusta. Tenho o apoio do pessoal administrativo todo.

O encontro foi satisfatório e parece que o pessoal gostou. Mas, ainda não tenho elementos para avaliar. Mesmo depois de 3 horas de envolvimento.

Então nas quintas saio as 17h, venho para casa direto e sempe tenho tarefas para fazer.


Sexta feira cuido de minha saúde pela manhã e à tarde vou de novo para a USP para aula de Apreciação Musical. Reencontro a turma anterior e foi uma festa e uma alegria. E o fundo musical já preparava para a aula: Bachiana nº 5 de Villa Lobos sem palavras, só vocalização. Começo até cantarolar enquanto escrevo. A semana que já havia me presenteado com a musica de Noel Rosa e Adoniran Barbosa, continua com um documentário sobre Villa Lobos.

De carona e mesmo assim quase perdi a hora. Cheguei no tempo certo de sair outra vez, agora para o Municipal. E a imersão na musica é que me compensa, me equilibra das minhas multiplas atividade. Parece que tudo zera. Se estava cansada, não estou mais. Pelo espaço Municipal onde me sinto à vontade, pelo ambiente musical que me faz tão bem, é que não abdico do prazer de estar lá.

O maestro desta sexta, José Maria Florêncio, eu gosto. Há os que eu nao gosto. Violinista Bracha com técnica e interpretação perfeitas ainda completou sua performance com um visual espetacular: um vestido vermelho, revelador indiscreto de suas formas femininas esculturais foi um mistério para mim. Como ela conseguiu entrar no vestido não consegui entender. Sem zip e sem botões, parecia uma outra pele sobre a natural.

Esquecida do vestido me empolgo com o bis e a execução de um tema de Paganini me reportou à Rachmaninof com suas 24 variações sobre um tema de Paganini (o mesmo tema) . Soberbo

E então, o que eu esperava ansiosa, a Sinfonia nº 5 de Tchaikowsky. Entre muitas é a que me toca mais diretamente porque tem uma história, porque eu a ouvi "n" vezes com Ayrton, porque seu tema e melodias maravilhosas que aparecem entre trechos agonicos do compositor, satisfazem à minha expectativa de uma boa musica.

Sempre que a ouço espero pelo segundo movimento, o Andante cantábile. O som das trompas que começam o movimento me arrepiam de prazer, e a melodia entra dentro de mim e vai em um crescendo que preciso respirar fundo para não explodir. E quando o movimento acaba, estou cansada, ofegante de tanta emoção sentida. Saio do teatro "iluminada", empolgada.
A semana bem que poderia terminar aqui.


Mas, ainda temos sábado, o reencontro com o pessoal do Escrevivendo na Casa das Rosas, a retomada dos escritos, dos contatos com a literatura. Karen, a coordenadora dirigiu sozinha o grupo. Muita gente nova, moços na maioria. Meia duzia de idosos.

E então Karen e eu viemos para casa e continuamos a planejar coisas novas até quase 20h.Cochilo na frente da TV para chamar o sono.


Domingo - Se já não durmo muito, quando estou em coisas novas, fico mais acelerada. Minha cabeça parece feita de pecinhas bem diferentes tentando formar várias figuras como em um quebra cabeça. E aí, durmo menos ainda.

Neste domingo, acordei às 3h e levantei ás 5h. Dois jornais, uma "bicadinha' no computador para ver se há mensagens e vou tomar café com filho, nora e netos, numa conferida da semana.

Saio logo e novamente Municipal. Agora, ao escrever estas notas, acho que não devia ter ido ouvir mais musica. A Sinfonia nº 5 era o suficiente. Nada a substituiria a contento. Mas, sempre quero mais e o programa prometia. Concerto com bailado para duas Sheherazades,

A primeira, de Ravel eu não conhecia e portanto só me prendi ao visual cênico. Moderno, colorido, bem elaborado, com soprano atuando como atriz e dançarina.

E então a Sheherazade de Rimsky-Korsakov que eu identifico logo aos primeiros sons. A Sheherazade do violino solo cuja melodia atinge profundamente o "coração". A Sheherazade das Mil e Uma Noites, eu só conseguia ouvir quando fechava os olhos. E aí eu não podia acompanhar os solos dos outros instrumentos. Fui ficando agitada e só então percebi que não conseguia ver as duas coisas: o balê e a musica.

O balê foi muito bonito, muito especial. Aos passos de um balê clássico, um figurino de saias ondulantes mudando de cor com luzes especiais. E não sei porque truque pareciam flutuar acima do solo. E um cenário surreal. Parecia que a qualquer momento Salvador Dali ia sair de tras da cortina para dar seu retoque pessoal em algo que ele julgasse imperfeito.

E então? Como ver as duas coisas ao mesmo tempo? Eu não consegui.Ou perdia coisas importantes de uma ou de outra. Saí meio angustiada. Mas, isso são coisas minhas, só minhas.

Resto de domingo revendo a semana. Escrevendo para o meu Blog e compartilhando com meus amigos e futuros amigos aquilo que faço, aquilo que curto e aquilo que me torna viva.
Em tempo: em meio dessa grandiosidade toda, uma farpinha me aborreceu. nem vou falar nela. Não permiti que ela me atingisse, mas não foi agradável.

Até Logo

27 comentários:

Zuleica disse...

Ufa !!!
Você não existe!!!
Admiro demais sua vitalidade.
Abraços

Anônimo disse...

Olá Dna NEUZA,que alegria!!!!!! que prazer "encotrá-la" e "revê-la" com toda esta vitalidade ...MARAVILHA!!!!!Era de se esperar...
Fui sua aluna no Campos Sales,ginásio e curso normal.Meu nome?...é verdade: Maria Eletra.

um forte abraço.
PS> enviarei meu endereço de email

Rosana disse...

Sou de Serra Negra interior de São Paulo, assiti a entrevista que a senhora deu no programa da Ione e estou admirada do que estou vendo , pois sou prof. de Informática e fiquei admira de ver uma senhora com tanta disposição assim, ainda mais na area de infomática coisas que temos jovens com tanta má vontade ainda de aprender e pessoas com muito menos idade com emdo de aprender , pra esta sendo um grande incentivo para meus alunos mostra-la como exemplo e admiração, com muito carinho que venho dizer esse palavras e para mim a senhora é a melhor beijos carinhoso vov Neuza Rosana Polidoro Salzano
meu e-mail rosanapolidoro@bol.com.br

Marcos Pontes disse...

oi dona Neuza um abraço bem grande
que Deus te abençoe e continue te dando esa saúde de ferro,beijo com muito carinho...

Anônimo disse...

pôxa vovó, queria eu ter esta vitalidade com meus 47 anos. parabéns!!!

Rosana - PE disse...

Olá...Vovó Neuza...
Vovó só pela idade, porque pela essencia seria irmã mais nova Neuza.
Acabei de ver sua entrevista na Record. Amei. Tenho 41 anos e confesso que me senti idosa ao ver sua historia. Obrigada por nos dar este exemplo. Realmente como seu pai disse: Tudo azul com bolinhas brancas...É isso que faz a gente feliz, e gente feliz com certeza vive mais e melhor.
Um beijo enorme em seu coração.
Toda minha admiração.
Rosana - PE
ro_ro_1967@hotmail.com

Anônimo disse...

Parabésn pela disposição e mostrar para este mundo que idade não impede a pessoa de ter atividade. Vemos tantos jovens sem disposição,que ver você dando exemplo de disposição é maravilhoso.
Sou de Recife e me chamo Lúcia.

Márcia disse...

Oi vovó Neuza! Vc é dmais! Assisti a reportagem na Rede Record, fiquei admirada e feliz por vc ser uma pessoa super ativa. PARABÉNS! bjs Márcia Manaus/Am. marciamgama@hotmail.com

Magy Rocha disse...

Olá vovó Neuza mais que prazer encontrar alguém assim cheia de vida e tão joven com a senhora,nosso estou tão feliz em ter visto pela record uma pessoa tão linda,é muito raro encontrar pessoas com tua idade com esta desposição de viver a vida com tanta alegria,tomara que eu chegue a tua idade com toda esta força e vida linda assim,eu tenho 36 anos mas não me acho com toda desposição assim mas olhando pra senhora me deu mais vontade de viver.
Que deus te abencoi cada vez mais,que o manto protetor de nossa senhora te cubra e te guarde de toda maldade do mundo,beijos no seu coração,pois n~unca serás velha e sim joven de alma e coração.
fica com deus da amiga Magy Rocha
Afonso Bezerra - Rio Grande do Norte.

magyrocha.com@hotmail.com

Anônimo disse...

Vovó Neuza,

Ontem assisti no Jornal da Record a reportagem que falava da Sra.

Fiquei muito admirado com tanta vitalidade com o tanto de atividades que a Sra faz e pratica.

A Sra, é um grande exemplo não só para terceira idade, mas para todas as idades.

Parabéns!!!

Espero chegar na idade da Sra, com essa vitalidade de uma jovem!

Continue sempre assim!

Bjs,

Ronaldo Alves
São Paulo - SP

renato disse...

Oiie gatinha!!!

Se é que posso lhe chamar assim!
É um gesto de carinho que tenho,ainda
mais por ter o mesmo nome de mamãe.
Te achei o máximo,um exemplo de amor pela vida, para que nos passe o
incentivo um pouco, e acordamos pra vida.Apesar de amar muito a vida,tem dias que nos sentimos derrotados por ela.Obrigada por voce existir.Que Deus continue iluminando sua vida,seus dias com muita força.Beijos.

Anônimo disse...

PARABÉNS VOVÓ NEUZA, PELO SEU BELO EXEMPLO DE CONTINUIDADE DE VIDA.FICO FELIZ PELA SENHORA DEUS SEMPRE TE CONSERVE COM ESSA SERENIDADE, PERSEVERANÇA E DICERNIMENTO DO EQUÍLIBRIO DA VIDA.

bete disse...

DE ELIZABETE P VOVO. VC É UMA LUZ.TE ADMIRO MUITOOOOOOOOOO.BJS LINDA

Natalia disse...

Vovo Neusa eu vi a senhora no programa da Ana Maria Braga fiquei admirada com sua disposicao e inteligencia vi que realmente a senhora é muito feliz isso fez eu refeletir sou jovem tenho 23 anos e nao sou tao feliz e vi que pra ser feliz basta a gente querer trabalhar e fazer o que a gente gosta muito obrigada pelo exemplo, e que Deus te de muita saude e muitos anos de vida,pois a senhora com tanta sabedoria me ensinou que o que importa é ser feliz.Um grande beijo e fique com Deus

marizalva lima disse...

Fiz um comentário não sei onde foi parar...Como falei não sei mecher muito...kkkk.Beijocas

Anônimo disse...

Oi é muito chato te chamar de vovó, pois você é uma pessoa de muita vitalidade.Eu costumo comparar pessoas como você as pessoas as quais eu conheço. Que estão mais novas porém não fazem nada. Não trabalham vivem para a casa ou simplesmente vivem a ver televisão. Na verdade essas pessoas não tem comparação com você. Gostaria de quando envelhecer fica assim com esta vitalidade, odeio ficar sem fazer nada. Te amei no Programa Ana Maria Braga, você é demais. Muita, muita,muita, saúde.Bjs Valéria. Email rodriguesdeka@gmail.com.

silene disse...

OLÁ Dona NEUZA,

PARABÉNS.Posso afirmar que fiquei muito feliz em ver sua força, sua vontade de viver. Depois dos 40, voltei a estudar, o que ansiava a muito tempo, já que amo o DIREITO. Confesso que por várias vezes pensei em desistir, senti na pele um preconceito por ser a mais velha da turma, a garotada não fez nenhum esforço para me aceitar e hoje já no 4º ano, ainda sinto o mesmo. Porém, estou seguindo em frente, já chegaram a dizer que eu era louca por fazer faculdade tão velha...me sinto mais velha perto deles...não sou louca e como vc busquei forças em mim mesma, autonoma e independente, estou driblando todas as barreiras, uma a uma, com fé que alcançarei meus sonhos, estou quase lá!
D. Neuza vc é um exemplo de vida, que deve sempre ser valorizado por todos...espero ser 1/4 daquilo que vc é e para mim será o suficiente.

FORÇA SEMPRE E SEMPRE,
SUA FÂ
SILENE SOARES

euemvitoria@bol.com.br

Anônimo disse...

AH,

MAIS UMA COISA,

SEU BLOG ESTÁ NO LINK "MEUS FAVORITOS" DO MEU PC,

FORÇA SEMPRE

SILENE

zilda disse...

Maravilhooooosa!!!!! Parabens, admiro toda essa sua vitalidade e cultura. Vc tem sede de saber isso é o máximo, só deixamos de aprender quando morremos, estou no mesmo caminho que vc. Tenho 55 anos, faço faculdade, trabalho, adoro ler, adquirir cultura, cinema, teatro, boa música, tricô, ser útil ás pessoas e amar a todos indistintamente!

Lídia disse...

Você é sensacional...
um exemplo de vida!!!! sou uma pessoa meio prá baixo....andava meio deprimida ultimamante. Qdo vi sua reportagem, nossa!!! melhorei muito!!!vc deu um UP prá minha vida com toda essa força de vontade e toda essa vitalidade sua.

Parabéns e continue assim.
seu blog agora vai ser visto por mim todos os dias.!!!!!

Lídia.

ISABEL disse...

Olá vóvó Neuza,
Sou de Portugal e acompanho o programa da Ana Maria Braga e vi a sua entrevista e fiquei fascinada.
É de louvar, um exemplo sem igual tanto para os mais novos como para os da sua idade, que mts. vezes entregam-se à idade do B.I..
Entretanto perdi o endereço do seu contacto, e por sorte, sem procurar, apareceu e agora quando posso venho ver.
A sua semana de trabalho é estenuante. PARABÉNS. Ao ler até me dá força para ir em frente.
Que tenha sempre o seu anjo da guarda a acompanhar.
Um Bj.mt. grande
Isabel - Portugal

Marlene Giraldi disse...

Oiii... vovo Neuza acabei de assistir uma reportagem sua no canal cultura,fiquei emocionada com tanta vitalidade.PARABENS que Deus a proteja.

Anônimo disse...

oi Dona neuza arrnje alguma coisa para fazer vc deve ser uma desocupada e num faça cú doce so pq apareceu na record.... fala serio ...

Esmeraldo disse...

Parabéns vovó pela vontade de viver e viver com qualidade. A minha mãe tem a sua idade e também possui toda essa vitalidade, só não tem todo esse conhecimento em informática, mas sabe fazer uns biscoitinhos de polvilho... rsrs.

flavia disse...

vovo neusa voce e um exemplo de vida eu vi a sra na tv hj e fiquei encantada com vc te adorei bjsss de sua fa flavia cidade tabapua sp ate mais

juninho disse...

ola vovò neuza vc tem orkut e msn ai manda para mim eu gosto muito de vc quero chega na tua IDADE COM MUITA FORÇA FUI BEIJOS

malualt3 disse...

OI vovó Neuza!
Assisti a reportagem na rede record, e admirei muito a sua rotina, a senhora é mesmo uma GRANDE AVÓ. Admiro sua disposiçao e espero ser como a senhora! Um grande beijo . E que Deus te abençoe cada dia mais!